marketing

Quanto custa fazer marketing?

quanto custa fazer marketingQuanto custa fazer o marketing de sua empresa? Ou melhor quanto custa um marketing efetivo? São perguntas que todo empresário acaba se fazendo. Por isso montamos um artigo sobre quanto custa fazer marketing e quais vantagens você tem em contratar uma agência ou fazer internamente.

Na internet é muito fácil encontrar anúncios de “construção de sites fáceis” ou “automação de e-mail grátis” todos os dias. E com isso achamos que muitas dessas ferramentas são de baixo custo ou até mesmo a custo zero. Muitas dessas ferramentas também vendem a idéia de que você pode fazer por conta através de um dashboard ou até mesmo personalização das mesmas (muitas personalizações são bem limitadas). Mas quando você realmente pensa sobre isso, isso parece razoável? Não há nada “grátis” ou “fácil” sobre marketing. Na verdade, cada anúncio que você viu por algo “livre e simples” é o resultado de uma estratégia de marketing eficaz, pela qual uma empresa pagou caro para conceituar, criar e distribuir para aparecer na sua tela e influenciar seu pensamento. Só porque qualquer um pode entrar no Google Analytics não significa que qualquer pessoa possa efetivamente usar o Google Analytics, muito menos criar uma estratégia de marketing de ponta a ponta, considerando o negócio, marca, mecanismos de pesquisa e mídias sociais. Claramente, quando envolvemos todos esses itens há muito trabalho profissional a ser feito.

Como o marketing é feito?

O marketing requer muito trabalho e desenvolvimento para que você tire a ideia do papel até a execução. Cada estágio requer talentos específicos, conhecimentos e habilidades. Saber mexer em ferramentas não necessariamente te faz apto para desenvolver o marketing sozinho. É ai que a questão custo entra em cena, muitas pessoas acham caro pagar um profissional de marketing, mas esquecem de que tempo, tentativa e erro e até mesmo o gasto com algumas ferramentas que não são “grátis” como venderam para você é também um gasto efetivo de dinheiro.

Qual é a diferença de contratar internamente um profissional ou contratar uma agência de marketing?

Uma equipe de agência de marketing geralmente consiste em funções especializadas, profissionais especialistas em seus respectivos campos. Como uma equipe, esses indivíduos tomam decisões sobre as melhores práticas, alinhando esforços e alcançando sucesso para clientes.

Claro, você poderia contratar ou designar um funcionário internamente, mas isso pode ser extremamente caro e não tão abrangente já que um único funcionário dificilmente terá todos “skills” necessários para executar uma campanha de ponta a ponta.

O que uma agência de marketing faz?

A proposta principal de uma agência de marketing é criar um plano estratégico mercadológico efetivo. O processo desse plano começa da concepção a execução de ações de marketing com um objetivo a ser definido no seu escopo. Além de criar os planos de ação para uma empresa a agência acaba executando o plano com diversos outros serviços necessários como: Desenvolvimento de sites, Estratégia de Conteúdo, Estratégia de Branding, Search Engine Optimization, Marketing de mídia social, PPC, Marketing de email e etc.

Temos um post sobre o que faz uma agência de marketing aqui.

Quanto custa uma agência de marketing?

Justamente por oferecer profissionais capacitados, abranger uma série de ferramentas e também a experiência nem sempre podemos dizer que é barato. Mas colocar tratar a comunicação de sua empresa com ferramentas “free” ou “faça você mesmo” pode ser tão caro quanto.
A experiência conta muito no preço, quanto mais experiente são os profissionais de uma agência mais caros eles se tornam. Nós sabemos que não existe almoço grátis e fazer o marketing de um negócio não é e nunca vai ser barato. Não só pelo custo da agência em sí, mas também pelo custo das ferramentas e da publicidade em geral. Cometer erros pode fazer essa equação ainda mais cara.

O Que é Marketing?

o que é marketingSe te perguntassem hoje: O que é marketing? Qual seria a sua resposta?
Com certeza, cada pessoa daria uma resposta diferente da outra, afinal, marketing pode ser tudo e mais um pouco.
O que mais vemos é pessoas dizendo que marketing é propaganda. E, acreditem, não é. Pelo menos não só isso.
Marketing, na verdade, é um compilado de muitas coisas. Propaganda, vendas, promoção, divulgação.

Definição de Marketing segundo Philip Kotler

Segundo o renomado Philip Kotler, o pai do marketing moderno, “Marketing é um processo social e gerencial pelo qual indivíduos e grupos obtêm o que necessitam e desejam através da criação, oferta e troca de produtos de valor com outros”. Ou seja, marketing é um conjunto de processos que acontecem simultaneamente com o objetivo de atingir o desejo do consumidor.

Marketing segundo Peter Drucker

De acordo com o pai da administração moderna Peter Drucker o marketing desempenha uma função básica porém fundamental para o mundo dos negócios:
“A meta do marketing é conhecer e entender o consumidor tão bem, que o produto ou serviço se molde a ele e se venda sozinho.”

Entender o consumidor é a melhor campanha de marketing.

Não importa o seu objetivo. Venda, divulgação, promoção, branding. O resultado esperado é sempre impactar e entender o consumidor, podendo, assim, oferecer a ele o que há de melhor dentro do seu ramo de trabalho.
Logo, marketing é possível sem propaganda. E se seu departamento de marketing só faz propaganda, então ele é apenas um departamento de comunicação, um dos braços do marketing.

O Departamento de Marketing deve traçar objetivos, buscar novas estratégias e atingir metas. Ou seja, saber cada passo pra chegar ao objetivo. Planejamento, ação, monitoração, criação, atendimento. Tudo isso deve ser feito para
analisar seu cliente, saber o que ele precisa, e como você chegará nele. E ai, você está fazendo seu marketing?

3 Dicas de Marketing Para Pequenas Empresas

 

Para pequenas empresas, ter domínio do marketing não é uma tarefa fácil. Os recursos
são limitados, a margem para erros e ainda menor.

Com isso, a internet e as estratégias de marketing digital passam a ser cada vez mais
necessárias.

Pensando nessas necessidades, trouxemos três pequenas dicas para você implementar
em sua empresa.

PRESENÇA ONLINE
Se sua empresa não possui um site e um perfil em uma das principais redes sociais
usadas hoje em dia, é hora de correr atrás!
As pessoas têm buscado cada vez mais informações sobre as empresas online, e se
você não estiver presente, ficará difícil mostrar quais são seus pontos de força.

VENDA MAIS DO QUE PRODUTOS
Vender pode ser seu principal objetivo, porém não é o único.
Todo o processo de atendimento, do momento de interesse até o pós-venda, seu
cliente deve ter um atendimento personalizado e satisfatório.
Realizando isso, as chances de indicação e fidelização desses clientes passa a ser cada
vez maior, tornando deles, aliados da sua marca.

PLANEJE SEU MARKETING
O planejamento de marketing é um dos principais pilares a serem adotados pela sua
empresa, assim como o plano de negócios e o planejamento financeiro.
Analise o mercado, entenda seus concorrentes e clientes, saiba o que pode influenciar
a sua marca a se destacar mais a cada dia.

Com isso, planeje estratégias e cronogramas de ação, sabendo sempre quais são os
resultados que você quer alcançar.

Feedback na Internet

No último dia 29 de Junho, a Netflix anunciou a volta do seriado Sense8, em um episódio final de duas horas. Tudo isso, graças as reclamações feitas por inúmeras pessoas nas redes sociais, em torno do fim do seriado. A confirmação deu-se por meio de vídeo, no Facebook da plataforma de streaming, e por um comunicado de Lana Wachowski, uma das produtoras de Sense8, no Facebook da série. “De forma improvável, inesperada, seu amor trouxe Sense8 de volta à vida”, disse Lana Wachowski, na carta.
Os cancelamentos de séries estão aborrecendo muitos adoradores do Netflix. Para justificar o cancelamento de Sense8, Roberto Malerva, também produtor do seriado, disse que a série possuía um custo elevado e uma produção complexa. Segundo estimativas, o valor de cada episódio de Sense8 girava em torno de US$ 9 milhões. Porém, as não renovações de Netflix não pararam. As séries The Get Down e Girlboss também foram canceladas, pela plataforma. Estes fatos geraram o descontentamento de diversos fãs e causaram pressões ao Netflix.

O Feedback dos fãs

“As cartas apaixonadas, petições, a voz coletiva que se levantou como o punho da Sun para lutar por essa série foram além do que qualquer um poderia esperar”, falou Lana Wachowski. “Mas esse é um presente dos fãs que eu sempre vou carregar no meu coração: por mais que na maioria da vezes essas decisões sejam de fato irreversíveis, isso não é sempre verdade”, acrescentou. Lançada em 2015, Sense8 teve duas temporadas, além de um episódio especial de Natal, em 2016. A série é responsável por trazer à tona discussões sobre preconceito, homofobia, representatividade de gênero e diversidade, em 16 cidades diferentes. Os episódios refletem os pontos de vista de cada personagem.

O ocorrido mostra que um produto, serviço, empresa ou – hoje em dia- qualquer outra coisa que esteja na rede, tem notoriedade imensurável! O futuro será cada vez mais digital e a internet cada vez mais importante para dar visibilidade aos negócios. Portanto, não deixe nunca de manter sua empresa conectada e as redes sociais extremamente atualizadas e inovadoras. Por isso se tornou fundamental que as empresas colham e monitorem feedback de seus clientes na internet.

Amazon anuncia aquisição da Whole Foods

Amazon anunciou na segunda quinzena de junho, a aquisição da Whole Foods Market Inc. A Whole Foods é muito conhecida pelas suas campanhas de marketing e fidelização de clientes sendo estudo de caso para várias publicações importantes do segmento da comunicação.

A negociação, é a maior que já foi feita pela gigante do comércio eletrônico, e envolve o valor de US$ 13,7 bilhões, incluindo dívida; a Amazon adquirirá a Whole Foods Market por US$ 42 por ação. A oferta de US$ 42 por ação representa um prêmio de 27% em relação ao preço de fechamento das ações Whole Foods na quinta-feira. A negociação foi interrompida a US$ 32,77 no pré-mercado, enquanto as ações da Amazon subiam 0,5%, a US$ 969.

O acordo prevê que John Mackye, co-fundador e diretor executivo da Whole Foods, continue administrando a companhia de alimentos orgânicos que tem sede localizada em Austin, no Texas (EUA). “Milhões de pessoas adoram o Whole Foods Market porque oferece os melhores alimentos naturais e orgânicos “, disse Jeff Bezos, fundador e CEO da Amazon, no comunicado no qual o negócio foi confirmado. Mackey, co-fundador e CEO da Whole Foods, frisou que a parceria é uma oportunidade para maximizar o valor dos acionistas da Whole Foods Market. O Whole Foods Market continuará operando lojas sob sua bandeira e fornecendo alimentos para parceiros ao redor do mundo. A conclusão da transação está sujeita à aprovação dos acionistas da Whole Foods Market e de aprovações regulamentares. As partes envolvidas esperam fechar a transação durante o segundo semestre de 2017.

Veja aqui alguns anúncios da Whole Foods:

Como será o uso do Machine Learning no Marketing Digital?

Machine Learning no Marketing Digital

Machine Learning no Marketing Digital

Na quarta feira, 31 de maio, o Google realizou a edição de 2017 do Think with Google. Este evento foi desenvolvido pela companhia, para apresentar ao mercado brasileiro as contribuições do Machine Learning para o futuro do Marketing e da Publicidade.
“O Google já está usando Machine Learning hoje em dia para combinar o que é objetivo de negócio com o comportamento de navegação dos nossos consumidores potenciais. E isso ocorrer em uma escala e em uma velocidade que seriam impossíveis de obter manualmente. Você pode usar essa tecnologia para conhecer cada pessoa e falar com toda a sua audiência de forma muito mais customizada”, afirma Fábio Coelho, presidente do Google Brasil.

Para que todas as empresas possam usufruir desse novo mundo, será necessário que amplifiquem o poder de suas coletas de dados. Isso significa que o maior desafio será extrair os dados corretos neste enorme universo de consumidores que são capturados pelas marcas e através de plataformas do marketing digital. Com o crescimento e o uso de smartphones, que faz parte de 100% da jornada diária de um indivíduo nos dias atuais, consumindo informações a todo momento, exige que a coleta de dados seja ainda mais acertiva. Talvez o ideal seja combinar cada vez mais os dados primários das marcas com os dados terceirizados (e anônimos) das plataformas, para conhecer melhor o comportamento dos consumidores e os KPIs mais relevantes para cada marca.

“Essa abordagem nos ajuda não focar só no retorno do investimento [ROI], mas também no retorno do desempenho [ROAS]. As empresas que terão mais sucesso serão aqueles que aprenderem mais rapidamente a fazer isso”, explica Fábio Coelho.

Fábio Coelho e o Diretor do Google Américas, Avinash Kaushik, mostraram-se particularmente entusiasmados com os com os avanços de Machine Learning para smart bidding ( especialmente no AdWords ). Defina os resultados desejados (CPAs alvo, ROAS, CPC aprimorado) e deixe a inteligência ajudá-lo a atingir seus objetivos – sem microfiguração humana! “Levar a mensagem correta para a pessoa certa no momento certo, de verdade”, diz Avinash.

De acordo com Avinash, a maioria das campanhas segmentadas manualmente (mesmo com o uso de uma ferramenta) leva em conta três ou quatro sinais: Palavra-chave, horário e local. por exemplo. Mesmo as abordagens mais “automatizadas” acabam usando um punhado a mais de parâmetros. Com Machine Learning será possível usar as centenas (e isso não é uma metáfora, ressaltou o executivo) de sinais que o Google ou o Facebook têm sobre os consumidores para entregar o anúncio certo. Não há nenhuma maneira de qualquer abordagem atual resolver isso.

Segundo o Google, para agradar o e fidelizar os clientes, as marcas precisam estar cada vez mais presentes, se tornarem relevantes e convenientes em todos os passos da jornada dos consumidores, especialmente nos smartphones.

Resumindo, as marcas precisam ser mais úteis, responder rapidamente as intenções imediatas de consumo e, até mesmo, antecipar as necessidades dos consumidores.

Novos aparelhos inteligentes vão surgir e, conforme os consumidores adotarem formas mais naturais de interação com eles (comando de voz, por exemplo), esses momentos se multiplicarão. Com o Machine Learning melhorando a experiência do usuário, de maneira cada vez mais sofisticada, a expectativa do consumidor por experiências relevantes, personalizadas e convenientes também  ficará cada vez mais alta.

Portanto, na Era da Assistência, criada pelo Google, apenas estar presente nos micromomentos que fazem diferença para o público não será suficiente. A expectativa será de estarmos sempre um passo adiante dos consumidores e de conhecermos suas necessidades melhor até que eles mesmos.

As marcas que quiserem ter sucesso deverão ter um conhecimento muito mais profundo de seus clientes a cada interação. elas precisarão criar uma visão detalhada e baseada em dados para realmente conhecê-los e ajudá-los em suas jornadas pessoais. Essa mentalidade de “assistência imediata” será essencial para quem quiser vencer.

Claro que ainda há muito trabalho a se fazer para que o Machine Learning, passe, de fato, a entregar tudo o que promete.

Quem quiser começar a se aventurar nesse mundo, pode recorrer aos treinamentos de Big data e Machine Learning do Google no Coursera.

Tire proveito do Pokémon Go no Brasil

Pokémon Go

Niantic Inc. / The Pokémon Company

Você já deve ter ouvido falar de Pokémon Go, uma verdadeira febre que está tomando conta do mundo. Multidões estão saindo as ruas para capturar os pequenos monstrinhos da Nintendo. Basicamente o game emula em realidade aumentada os bichinhos para que as pessoas capturem-os. Agora você sabia que tem muitas empresas lucrando com isso?

Como funciona o Pokémon Go?

Basicamente no mapa do jogo existem locais que são chamados de PokeStops, esses locais podem ser qualquer lugar como a frente de uma loja ou até mesmo de uma agência bancária e o jogador ao chegar nesse local ele ganha um item ou um bônus para usar no jogo.  Porém nem todas as empresas tem uma parada, e não há atualmente nenhuma maneira de adicionar ou removê-los, por isso é uma questão de sorte que as empresas são capazes de tirar proveito do jogo. Conforme o jogador anda pelo mapa com ajuda do sinal de GPS ele pode encontrar Pokémons para capturar e outros treinadores. Por isso o jogo virou um fenômeno mundial aliou a velha febre dos anos 2000 com a tecnologia de hoje.

O jogo possui uma funcionalidade de atrair jogadores pelo preço de 2 dolares e com isso um mar de pessoas podem aparecer nesse local módulos possuem uma duração de 30 minutos conforme o número de pessoas aumenta esse local se torna um beacon atraindo pessoas e pokemons  ao local. Imagine agora um Pokestop em frente de um restaurante? Ou até mesmo de um café?

PokeStop

Gameplay: Pokémon Go

Nos EUA muitas empresas estão tirando proveito disso oferecendo descontos para quem utiliza esses beacons assim como quem joga o jogo para atrair um número cada vez maior de pessoas. Algumas lojas tiveram a sorte de possuir um Pokestop em frente de suas vitrines e já estão apresentando lucros maiores que antes do fenômeno do jogo. Além dos negócios locais crianças vendendo limonada no Pokestops também está lucrando com isso. Uma ONG no sul do estado da Flórida está utilizando um Pokestop para atrair doações e voluntários.

O Pokémon Go ainda não foi lançado no Brasil mas quando for aproveite e veja se você não é um sortudo com o PokeStop em frente de sua empresa. Aproveite para pensar como atrair jogadores para o local com descontos, produtos e benefícios.

Você comete esses 4 erros na sua empresa

Muitas vezes nos acomodamos com algumas atitudes e acabamos deixando de lado atitudes importantes no dia a dia das empresas. Descubra se você comete esses erros e entenda maneiras de melhorar.

Não perguntar ou chamar seu cliente pelo nome

Muitas pessoas não sabem, mas tratando o outro pelo nome você demonstra que conhece a pessoa e gera um sentido de importância para ela.

O Som do nosso nome é uma espécie de gatilho mental, que faz vibrar nossa energia corporal fazendo com que nosso cérebro entre em ação e comece a participar de uma conversa.

Um estudo realizado na Universidade do Texas, Estados Unidos, comprovou que o nome de uma pessoa é o som mais agradável para ela. Por exemplo: Você está em uma praça de alimentação em um shopping, sábado à tarde e de repente ouve seu nome, o que você faz? Imediatamente olha para trás e procura quem o chamou, não é mesmo? Imagine agora o impacto de mencionar o nome do seu cliente, durante seu atendimento?

Deixar de investir em treinamentos

 Quando se lida com clientes por telefone ou presencialmente é preciso que toda a equipe esteja alinhada e com um pensamento de trabalho em equipe. Muitas Micro, Pequenas, Médias e Grandes empresas, perdem fortunas diariamente por não treinar, motivar e capacitar seus profissionais. Você pode não acreditar, mas seu cliente sente essa diferença quando está em uma negociação e percebendo isso, eles se propõem a investir um pouco mais, só por ter tido prazer de ser muito bem atendido.

Valorizar o pagamento mais que o atendimento

Um erro rotineiro é achar que, só porque o cliente paga em dia, e o serviço é prestado como prometido não há necessidade para preocupações. Na verdade, garantir um atendimento personalizado e sempre buscar solucionar os problemas que surgem frequentemente ajuda a estreitar a relação de empresa x cliente. É necessário focar em deixar seu cliente sempre satisfeito e não simplesmente focar em quando será o próximo pagamento.

Não agradecer a um cliente por dar feedback

Quantos clientes pensam que seu produto falha em algum aspecto e não dizem nada a respeito? Assim como a reclamação, o feedback é o melhor presente que um cliente pode nos dar (além de seu dinheiro!) Faça um grande pós-venda e mostre preocupação com o grau de satisfação do seu cliente depois do processo de compra.

“Seus clientes mais insatisfeitos são sua melhor fonte de aprendizado. ”

– Bill Gates

5 Dicas valiosas para aumentar suas vendas

Aumentar as vendas é um objetivo em todas as empresas. Cada uma tem o seu próprio estilo, seu próprio produto. Mas todas tem um objetivo em comum: Aumentar. Nos dias de hoje, apresentar diferenças competitivas é a melhor forma de se destacar.

Confira 5 Dicas que vão ajudar você e sua empresa:

  1. A venda está na sua mente.

A maneira com a qual você aborda seu cliente vai determina o resultado do seu atendimento mais do que qualquer outra coisa. Disposição, confiança, entusiasmos e paixão pelo que faz coloca você ao lado do cliente (imagine que VENDER é como uma ponte e tudo que você deseja é que o cliente atravesse para seu lado).

  1. Acredite

Acredite na sua empresa, no seu produto e principalmente em você, seu sistema de crenças determina seu destino. Autoconfiança e conhecimento do produto/serviços, são fatores extremamente importantes para um atendimento exclusivo e de qualidade.

  1. Envolva-se

Faça com que os clientes tenham interesse no que você tem a dizer. Envolva-os com perguntas e tente fazê-los sorrir, faça amizade e estabeleça uma conexão.

Desde o primeiro segundo do seu atendimento, o cliente irá julgá-lo. Como diz um antigo ditado: “Se todas as condições forem iguais, as pessoas vão querer fazer negócios com os amigos. E, se as condições NÃO forem tão iguais, elas AINDAM vã querer fazer negócios com amigos”.

  1. Descubra

Pessoas compram pelos próprios motivos, não pelos seus. Descubra os motivos delas primeiro. (As pessoas não gostam de serem vendidas, mas elas ADORAM comprar). O principal ponto em uma venda (que a maioria das pessoas ignora COMPLETAMENTE) é descobrir POR QUE as pessoas compram. “Por que elas compram” é mais valioso do que “Como vender”. Os motivos dela para comprar (a razão de comprarem) são um bilhão de vezes mais importantes para a venda do que as suas habilidades de vender.

A melhor parte sobre descobrir as “razões para comprar” do seu cliente é que isto irá diferenciá-lo completamente de todos os seus concorrentes.

  1. Pergunte

Se fizer perguntas erradas – você vai receber as respostas erradas.

Perguntas são o coração das vendas, perguntas transformam o processo de vendas em processos de compra, perguntas relevam fatos e motivos para compras.

As perguntas precisam ser inteligentes. E elas devem ser diferentes daquelas feitas pelos seus concorrentes, ou você será comparado a eles.

Nunca pergunte “O que é importante para você?”. Descubra o que é importante fazendo outras perguntas.

Storytelling no B2B

Nos dias de hoje, contar uma história é uma das melhores formas de vender seus produtos e serviços. O poder e a força das histórias podem ser a faísca que falta para que o público se identifique com a sua marca. Ela desperta interesse e curiosidade, fazendo com que nos sintamos parte dela.

A função da história e tornar algo memorável. Memorável o suficiente para que isso seja passado a diante. As histórias ajudam você a se distanciar da concorrência, trazer empatia e se destacar no mercado.

É importante lembrarmos que as histórias são sobre pessoas, e não sobre empresas, e esse é o principal ponto a ser destacado para que o público seja atraído pelo seu produto ou serviço. Existem diversos exemplos de empresas que utilizam histórias de seus funcionários para mostrar como eles foram importantes para o crescimento delas. Muitas vezes os mostrando como uma espécie de ‘herói’.

Criando essa história, é possível convencer de que sua empresa é a certa, e seu cliente estará em ótimas mãos.

1 2 3 4  Topo