Notícias

Notícias da gente

O que é indústria 4.0?

indústria 4.0

Você já ouviu falar no termo “indústria 4.0”? Para quem é fã da tecnologia, certamente já sabe o que é. Para quem é leigo no assunto, foi na edição 2011 da famosa feira de tecnologia que acontece todos os anos, no final de abril, na cidade de Hannover, na Alemanha, que o conceito sobre a indústria 4.0 teria sido revelado ao público pela primeira vez.

Evolução

Como sabemos, o foco das grandes indústrias, antigamente, era a produção em larga escala, com qualidades e custos baixos. Não havia, contudo, um contato com o cliente final, o que é importantíssimo nos dias atuais. Sua estrutura era completamente voltada para a produção. Com o avanço da tecnologia, começaram a surgir as soluções do e-commerce.

Com um site as empresas ganharam a opção de oferecer experiências de compra mais agradáveis aos clientes. Para isso, as indústrias passaram a investir cada vez mais em capacitação e aprendendo sobre as estratégias de marketing digital.

Indústria 4.0

Com o tempo, as indústrias foram se aperfeiçoando e perceberam que é preciso criar canais de comunicação para que o público entre em contato de maneira rápida e prática.

O modelo de indústria altamente automatizada, gerado há mais de 40 anos, possibilitou que fossem criadas as grandes inovações tecnológicas que usufruímos hoje, como tablets, smartphones e todo o tipo de produto eletrônico.

Vantagens ou desvantagens?

O impacto que se espera no setor industrial é comparado ao que a internet proporcionou ao comércio digital às transações bancárias e as meios de comunicação. Com o surgimento da indústria 4.0, dispositivos inteligentes e interconectados serão implementados em cada etapa da produção, o que possibilitará que dados sejam obtidos e gerenciados de maneira prática, ágil e segura.

Basicamente, bastará um coordenador para controlar toda a fábrica por meio de um simples smartphone, a qualquer hora e em qualquer lugar. (Se é que isso já não está acontecendo, não é mesmo?).

A previsão é de que a quarta revolução industrial gere ainda mais impactos no mercado de trabalho, já que, aos poucos, os trabalhos manuais e repetitivos sejam substituídos por ferramentas e recursos automatizados, isto é, robôs e máquinas.

E você? O que acha da indústria 4.0?

O marketing e o departamento comercial

marketing

É muito comum ouvir as pessoas falando em marketing e vendas como se tudo fosse a mesma coisa. É claro que ambas trabalham juntas, mas há uma enorme diferença entre o departamento de marketing de uma empresa e o departamento comercial. Mas, afinal, onde termina um e inicia o outro? Nós vamos explicar:

Preparando o terreno com o marketing

A missão do marketing é ajudar a empresa a atingir seus objetivos de negócio, sejam elas quais forem. Pode ser o aumento das vendas, crescimento da fatia de mercado, fortalecimento da marca, divulgação de produtos e serviços, entre outros.
Em outras palavras, o departamento de marketing é responsável pela venda de forma indireta. Os profissionais deste setor têm como objetivo estudar o mercado, verificar quais as melhores opções e planejar estratégias para que a empresa consiga vender seus produtos e serviços.

Departamento comercial

Já o departamento comercial é responsável pelas vendas diretas garantindo a geração de receitas para a empresa.
O vendedor é quem tem contato direto com o cliente e pode extrair outras informações que o marketing não tem acesso. Frente a frente, o responsável pelas vendas pode perguntar, fazer a leitura dos gestos do cliente, rebater objeções e, assim, entender o que realmente o cliente precisa.
É fundamental os responsáveis por este setor se preocupar em conhecer os clientes da companhia e definir as formas de vendas mais adequadas para alcançar o público-alvo, além de fidelizar a clientela já conquistada.

O que seria de um sem o outro?

Podemos dizer que as vendas dá continuidade ao trabalho do marketing. O alinhamento entre esses dois é fundamental para que a empresa potencialize suas oportunidades de vendas.

Ficou com alguma dúvida sobre as diferenças entre marketing e vendas?Deixe seu comentário aqui embaixo

3 tendências de marketing para sua empresa

Confira abaixo 3 fortes tendências de marketing para crescer no mundo corporativo e ser bem-sucedido nos negócios, afinal queremos melhorar sempre não é mesmo?

tendencias de marketing para empresas

Responsabilidade social

Responsabilidade social corporativa e marketing de causa são iniciativas que levaram comerciantes do passado a repensarem suas estratégias centrais de marketing. Atualmente, essas duas idéi as migraram para a noção de propósito da marca.

Focar no engajamento

Lembre-se que os consumidores, hoje em dia, não compram coisas, mas compram histórias que ganham vida por meio de uma junção de criatividade e tecnologia.

Propósito, engajamento, histórias, rapidez e interação humanizada são fortes tendências do marketing. Conhecer o cliente muito bem ainda é fundamental e nunca estará fora de moda.

O marketing que conta histórias

O consumidor do século XXI não compra produto ou serviço, mas sim histórias. Interações personalizadas darão mais poder às empresas, principalmente na hora de rever uma estratégia ou mergulhar de forma prudente nas novidades que o mundo atual emerge com tanta velocidade.

Empresas com estratégias focadas em entregar aquilo que os clientes buscam o mais rápido possível, atendê-los em tempo recorde e sem burocracias com certeza ganharão espaço e vantagem competitiva.

Quer ter sucesso no seu empreendimento? Então você deve utilizar a estratégia de misturar criatividade e tecnologia para gerar e entregar histórias que criem conexões duradouras com os consumidores.

Siga essas dicas e boa sorte! Ah, não se esqueça de deixar seu comentário aqui pra gente.

Anúncios de marcas na internet crescem com a demanda de investimentos na área do marketing digital

Foi comprovado, recentemente, em um estudo feito pelo The Boston
Consulting Group, que os brasileiros são mais receptivos aos anúncios online
do que se imagina.
56% dos internautas disseram que estariam inclinados a clicar em um anúncio
na internet. A receptividade é ainda maior se o anúncio chegar por e-mail
(77%) ou por resultados de busca (67%).
Com o avanço da tecnologia e o surgimento das novas plataformas digitais,
muitos consumidores estão aderindo às compras online. Segundo o estudo,
65% já compraram algo pela internet.
A exposição a anúncios digitais também é alta. Só no último mês, quase 70%
declararam que foram expostos a algum anúncio no e-mail ou em rede social,
56% em vídeo e 47% em banners de sites e resultados de busca.
E o mais importante: a influência que estes anúncios digitais têm na hora da
compra também é grande: 66% dos usuários de internet já fizeram alguma
compra por causa de um anúncio online.
Sua empresa precisa investir em marketing digital
Segundo a pesquisa, 25% dos gastos de marketing no Brasil vão para o
segmento digital.
Mais de 60% dos brasileiros estão dispostos a comprar uma marca ou serviço –
e até trocar sua atual opção de compra – se sentirem que o serviço e a
experiência serão mais personalizados.
Neste cenário competitivo e de muita turbulência, o papel das empresas com
investimentos na área de marketing digital é preponderante. Entender esse
novo perfil de público e corresponder às suas expectativas é o novo desafio
das companhias.
E sua empresa? Está preparada para atender aos consumidores de acordo
com essa nova tendência do mercado digital? Comente aqui pra gente.

Instagram anuncia mudança

 

As novas tecnologias representam uma característica intrínseca à era da informação e configuram-se em um novo cenário na vida das pessoas e, principalmente, das empresas.

Cada vez mais as instituições estão sendo impulsionadas a planejarem seus negócios e atividades, apoiando-se em tecnologias inovadoras, das quais a internet é apenas uma, oferecendo velocidade, direcionamento e repetição de mensagens quase sem custos.

Com o surgimento das redes sociais, o limite entre o público e o privado ficou praticamente impossível. Em redes como o Instagram e Facebook, não se faz uma classificação criteriosa de quem pode ver suas imagens e comentários, qualquer um tem acesso à intimidade de sua família, seus pensamentos, sua rotina. E, para piorar, nem todos sabem usar tais redes de modo que sua privacidade seja protegida. Parece besteira, mas já parou para pensar na quantidade de informações que você compartilha nas redes sociais e o quanto isso pode gerar problemas caso caia em mãos erradas? Recentemente, o Instagram anunciou que não irá mais “dedurar” usuários que tiram capturas de tela dos Stories de outras pessoas. A ação era permitida apenas para alguns usuários.

 

Aprenda a não correr riscos

 

No Brasil, os maiores riscos de segurança na web apontados pela empresa são os relacionados a contatos não solicitados, solicitações de cunho sexual, fraudes e itens falsos.

Empresas do mundo todo alertam aos seus usuários a criação de senhas eficazes, isto é, que não usam informações pessoais óbvias, como data de nascimento ou combinações simples.

A companhia também faz um alerta para o risco de fraudes online e os chamados “comportamentos invasivos”, como os ataques à dignidade das pessoas e os crimes de ódio e sexuais.

 

A tecnologia tem muita coisa interessante. Basta saber usá-la!

Preparado para inovar? Descubra as tendências de Marketing Digital que estão ganhando força

Na esfera do mundo globalizado, os novos canais de comunicação mudaram a forma como as pessoas consomem as informações. Estas transformações tecnológicas, por sua vez, ocorridas nos últimos anos, ocasionaram mudanças, também, nos hábitos das empresas.

Torna-se, portanto, preponderante entender que as instituições frente a essa nova realidade devem estar voltadas às tecnologias digitais e demais plataformas, sites, ferramentas e instrumentos utilizados por meio da rede mundial de computadores.

É justamente neste contexto que conteúdos mais diretos, menor volume – mas com maior relevância – estão ganhando força no mercado. As empresas vêm reconhecendo a importância de fazer Marketing de Conteúdo e é provável que tenham cada vez mais empresas investindo nessa estratégia.

Outra tendência que tem ganhado destaque é o Chatbot.

 

Mas, afinal, o que é um chatbot?

 

Para responder a esta pergunta, lembre-se da Siri, da Apple. O chatbot está muito relacionado a esse conceito. É um programa de computador que faz o que é programado, simulando uma conversa humana, e nada mais além disso. Dessa forma, o chatbot com inteligência artificial faz com que mesmo perguntando de uma forma não programada, você obtenha respostas corretas. Sendo assim, conseguimos automatizar tarefas repetitivas e burocráticas, deixando-nos livres para resolver problemas mais complexos.

 

Transmissão ao vivo

 

Entre as listas de apostas estão as ferramentas de transmissões ao vivo. Esta já é uma estratégia consolidada e empresas que não adotaram a este formato estão atrasadas. A vantagem é que as “lives” não exigem tanta infraestrutura. Pode-se começar com um computador ou celular e, depois, colocar acessórios, como microfones e iluminação. Uma das principais utilidades do vídeo nos próximos anos será na realidade virtual.

 

Comandos Por voz

 

Assistentes de Voz estão criando uma nova forma de interação com a web. 74% dos usuários de tecnologias de voz acreditam que as marcas devem ter vozes únicas que expressem a personalidade da marca para os seus aplicativos ao invés de usarem a voz padrão.

Agora que você já sabe, pode começar a implementar em sua empresa. Boa sorte!

Negócio Local? O Facebook tem um formato para você!

Nos dias de hoje é difícil encontrar empresas que ainda não tenham investido alguns reais sequer no Facebook Ads. A plataforma é a rede social mais usada no mundo, e, por isso, a presença de anúncios dentro do site é praticamente obrigatória. O Facebook busca a cada dia novas maneiras de trazer anúncios específicos para cada negócio, colocando novas opções que irão beneficiar os anunciantes. Agora, uma nova opção de anúncio está disponível na rede social, e ela pode ser perfeita para o seu negócio.

Nova ferramenta de segmentação

Como já sabemos, existem diversas formas de segmentação dentro do Facebook. Elas ajudam a tornar os anúncios muito mais efetivos, já que é mais fácil atingir quem tem interesse pelos assuntos que você anuncia.

Qual a novidade?

Pensando nos negócios locais, o Facebook agora passou a trazer notificações de locais com base na localização dos usuários.
Essa notificação vem nas atividades, aquele lugar em que todos nós clicamos várias vezes ao dia.
Isso coloca a sua marca ainda mais próxima do usuário, já que agora, com apenas um clique, ele poderá ser direcionado para a sua página.
A estratégia é ótima para lojas, restaurantes e diversos outros tipos de negócio que buscam atrair cada vez mais clientes.
Se você ainda não faz anúncios da sua marca, produto ou serviço dentro da maior rede social do mundo é melhor começar a olhar com mais carinho para o Facebook.

Instituto Ronald McDonald reposiciona sua marca

Arrecadar recursos financeiros para sustentar programas sociais é uma missão desafiadora. Assim, o marketing de organizações sem fins lucrativos se faz igualmente importante como para as empresas do setor produtivo.

Ainda que apoiado pela maior e mais conhecida empresa de serviço rápido de alimentação do mundo, o Instituto Ronald McDonald encontrou dificuldades para divulgar suas iniciativas. Pela primeira vez, a organização busca padronizar sua marca e assim disseminar com maior efetividade seus programas.

No último dia 10, o Instituto lançou quatro campanhas em âmbito global com o tema “Keep Families Close” (“Aproximando as Famílias”, em português). A ideia conceitual se refere a significar família além da forma tradicional; considerando enfermeiros, médicos, assistentes sociais e equipe. No Brasil, a divulgação da marca está sob responsabilidade da agência Kindle.

A campanha busca também mudar a perspectiva diante da doença, atenuando o medo e tristeza, além de levantar o debate sobre o câncer. Antes, no início dos anos 90, o câncer de uma forma geral apresentava apenas 20% de chance de cura, hoje em dia esse indicador se apresenta como 75% – de acordo com Francisco Neves, superintendente do Instituto.

Incluindo peças de mídia impressa, mídias sociais, há quatro vídeos de quatro crianças atendidas pelo Instituto contando sua história de forma leve e com sorriso no rosto. As histórias narradas contaram com as vozes de personalidades como Deborah Secco, Fernanda Gentil, Thiago Lacerda e Zico.

A data para a próxima grande ação da marca será no dia 26 de agosto, o McDia Feliz. O evento terá como embaixador o comediante e ator Fábio Porchat.

Feedback na Internet

No último dia 29 de Junho, a Netflix anunciou a volta do seriado Sense8, em um episódio final de duas horas. Tudo isso, graças as reclamações feitas por inúmeras pessoas nas redes sociais, em torno do fim do seriado. A confirmação deu-se por meio de vídeo, no Facebook da plataforma de streaming, e por um comunicado de Lana Wachowski, uma das produtoras de Sense8, no Facebook da série. “De forma improvável, inesperada, seu amor trouxe Sense8 de volta à vida”, disse Lana Wachowski, na carta.
Os cancelamentos de séries estão aborrecendo muitos adoradores do Netflix. Para justificar o cancelamento de Sense8, Roberto Malerva, também produtor do seriado, disse que a série possuía um custo elevado e uma produção complexa. Segundo estimativas, o valor de cada episódio de Sense8 girava em torno de US$ 9 milhões. Porém, as não renovações de Netflix não pararam. As séries The Get Down e Girlboss também foram canceladas, pela plataforma. Estes fatos geraram o descontentamento de diversos fãs e causaram pressões ao Netflix.

O Feedback dos fãs

“As cartas apaixonadas, petições, a voz coletiva que se levantou como o punho da Sun para lutar por essa série foram além do que qualquer um poderia esperar”, falou Lana Wachowski. “Mas esse é um presente dos fãs que eu sempre vou carregar no meu coração: por mais que na maioria da vezes essas decisões sejam de fato irreversíveis, isso não é sempre verdade”, acrescentou. Lançada em 2015, Sense8 teve duas temporadas, além de um episódio especial de Natal, em 2016. A série é responsável por trazer à tona discussões sobre preconceito, homofobia, representatividade de gênero e diversidade, em 16 cidades diferentes. Os episódios refletem os pontos de vista de cada personagem.

O ocorrido mostra que um produto, serviço, empresa ou – hoje em dia- qualquer outra coisa que esteja na rede, tem notoriedade imensurável! O futuro será cada vez mais digital e a internet cada vez mais importante para dar visibilidade aos negócios. Portanto, não deixe nunca de manter sua empresa conectada e as redes sociais extremamente atualizadas e inovadoras. Por isso se tornou fundamental que as empresas colham e monitorem feedback de seus clientes na internet.

Amazon anuncia aquisição da Whole Foods

Amazon anunciou na segunda quinzena de junho, a aquisição da Whole Foods Market Inc. A Whole Foods é muito conhecida pelas suas campanhas de marketing e fidelização de clientes sendo estudo de caso para várias publicações importantes do segmento da comunicação.

A negociação, é a maior que já foi feita pela gigante do comércio eletrônico, e envolve o valor de US$ 13,7 bilhões, incluindo dívida; a Amazon adquirirá a Whole Foods Market por US$ 42 por ação. A oferta de US$ 42 por ação representa um prêmio de 27% em relação ao preço de fechamento das ações Whole Foods na quinta-feira. A negociação foi interrompida a US$ 32,77 no pré-mercado, enquanto as ações da Amazon subiam 0,5%, a US$ 969.

O acordo prevê que John Mackye, co-fundador e diretor executivo da Whole Foods, continue administrando a companhia de alimentos orgânicos que tem sede localizada em Austin, no Texas (EUA). “Milhões de pessoas adoram o Whole Foods Market porque oferece os melhores alimentos naturais e orgânicos “, disse Jeff Bezos, fundador e CEO da Amazon, no comunicado no qual o negócio foi confirmado. Mackey, co-fundador e CEO da Whole Foods, frisou que a parceria é uma oportunidade para maximizar o valor dos acionistas da Whole Foods Market. O Whole Foods Market continuará operando lojas sob sua bandeira e fornecendo alimentos para parceiros ao redor do mundo. A conclusão da transação está sujeita à aprovação dos acionistas da Whole Foods Market e de aprovações regulamentares. As partes envolvidas esperam fechar a transação durante o segundo semestre de 2017.

Veja aqui alguns anúncios da Whole Foods:

1 2 3 4  Topo