Notícias

Notícias da gente

Preparado para inovar? Descubra as tendências de Marketing Digital que estão ganhando força

Na esfera do mundo globalizado, os novos canais de comunicação mudaram a forma como as pessoas consomem as informações. Estas transformações tecnológicas, por sua vez, ocorridas nos últimos anos, ocasionaram mudanças, também, nos hábitos das empresas.

Torna-se, portanto, preponderante entender que as instituições frente a essa nova realidade devem estar voltadas às tecnologias digitais e demais plataformas, sites, ferramentas e instrumentos utilizados por meio da rede mundial de computadores.

É justamente neste contexto que conteúdos mais diretos, menor volume – mas com maior relevância – estão ganhando força no mercado. As empresas vêm reconhecendo a importância de fazer Marketing de Conteúdo e é provável que tenham cada vez mais empresas investindo nessa estratégia.

Outra tendência que tem ganhado destaque é o Chatbot.

 

Mas, afinal, o que é um chatbot?

 

Para responder a esta pergunta, lembre-se da Siri, da Apple. O chatbot está muito relacionado a esse conceito. É um programa de computador que faz o que é programado, simulando uma conversa humana, e nada mais além disso. Dessa forma, o chatbot com inteligência artificial faz com que mesmo perguntando de uma forma não programada, você obtenha respostas corretas. Sendo assim, conseguimos automatizar tarefas repetitivas e burocráticas, deixando-nos livres para resolver problemas mais complexos.

 

Transmissão ao vivo

 

Entre as listas de apostas estão as ferramentas de transmissões ao vivo. Esta já é uma estratégia consolidada e empresas que não adotaram a este formato estão atrasadas. A vantagem é que as “lives” não exigem tanta infraestrutura. Pode-se começar com um computador ou celular e, depois, colocar acessórios, como microfones e iluminação. Uma das principais utilidades do vídeo nos próximos anos será na realidade virtual.

 

Comandos Por voz

 

Assistentes de Voz estão criando uma nova forma de interação com a web. 74% dos usuários de tecnologias de voz acreditam que as marcas devem ter vozes únicas que expressem a personalidade da marca para os seus aplicativos ao invés de usarem a voz padrão.

Agora que você já sabe, pode começar a implementar em sua empresa. Boa sorte!

Negócio Local? O Facebook tem um formato para você!

Nos dias de hoje é difícil encontrar empresas que ainda não tenham investido alguns reais sequer no Facebook Ads. A plataforma é a rede social mais usada no mundo, e, por isso, a presença de anúncios dentro do site é praticamente obrigatória. O Facebook busca a cada dia novas maneiras de trazer anúncios específicos para cada negócio, colocando novas opções que irão beneficiar os anunciantes. Agora, uma nova opção de anúncio está disponível na rede social, e ela pode ser perfeita para o seu negócio.

Nova ferramenta de segmentação

Como já sabemos, existem diversas formas de segmentação dentro do Facebook. Elas ajudam a tornar os anúncios muito mais efetivos, já que é mais fácil atingir quem tem interesse pelos assuntos que você anuncia.

Qual a novidade?

Pensando nos negócios locais, o Facebook agora passou a trazer notificações de locais com base na localização dos usuários.
Essa notificação vem nas atividades, aquele lugar em que todos nós clicamos várias vezes ao dia.
Isso coloca a sua marca ainda mais próxima do usuário, já que agora, com apenas um clique, ele poderá ser direcionado para a sua página.
A estratégia é ótima para lojas, restaurantes e diversos outros tipos de negócio que buscam atrair cada vez mais clientes.
Se você ainda não faz anúncios da sua marca, produto ou serviço dentro da maior rede social do mundo é melhor começar a olhar com mais carinho para o Facebook.

Instituto Ronald McDonald reposiciona sua marca

Arrecadar recursos financeiros para sustentar programas sociais é uma missão desafiadora. Assim, o marketing de organizações sem fins lucrativos se faz igualmente importante como para as empresas do setor produtivo.

Ainda que apoiado pela maior e mais conhecida empresa de serviço rápido de alimentação do mundo, o Instituto Ronald McDonald encontrou dificuldades para divulgar suas iniciativas. Pela primeira vez, a organização busca padronizar sua marca e assim disseminar com maior efetividade seus programas.

No último dia 10, o Instituto lançou quatro campanhas em âmbito global com o tema “Keep Families Close” (“Aproximando as Famílias”, em português). A ideia conceitual se refere a significar família além da forma tradicional; considerando enfermeiros, médicos, assistentes sociais e equipe. No Brasil, a divulgação da marca está sob responsabilidade da agência Kindle.

A campanha busca também mudar a perspectiva diante da doença, atenuando o medo e tristeza, além de levantar o debate sobre o câncer. Antes, no início dos anos 90, o câncer de uma forma geral apresentava apenas 20% de chance de cura, hoje em dia esse indicador se apresenta como 75% – de acordo com Francisco Neves, superintendente do Instituto.

Incluindo peças de mídia impressa, mídias sociais, há quatro vídeos de quatro crianças atendidas pelo Instituto contando sua história de forma leve e com sorriso no rosto. As histórias narradas contaram com as vozes de personalidades como Deborah Secco, Fernanda Gentil, Thiago Lacerda e Zico.

A data para a próxima grande ação da marca será no dia 26 de agosto, o McDia Feliz. O evento terá como embaixador o comediante e ator Fábio Porchat.

Feedback na Internet

No último dia 29 de Junho, a Netflix anunciou a volta do seriado Sense8, em um episódio final de duas horas. Tudo isso, graças as reclamações feitas por inúmeras pessoas nas redes sociais, em torno do fim do seriado. A confirmação deu-se por meio de vídeo, no Facebook da plataforma de streaming, e por um comunicado de Lana Wachowski, uma das produtoras de Sense8, no Facebook da série. “De forma improvável, inesperada, seu amor trouxe Sense8 de volta à vida”, disse Lana Wachowski, na carta.
Os cancelamentos de séries estão aborrecendo muitos adoradores do Netflix. Para justificar o cancelamento de Sense8, Roberto Malerva, também produtor do seriado, disse que a série possuía um custo elevado e uma produção complexa. Segundo estimativas, o valor de cada episódio de Sense8 girava em torno de US$ 9 milhões. Porém, as não renovações de Netflix não pararam. As séries The Get Down e Girlboss também foram canceladas, pela plataforma. Estes fatos geraram o descontentamento de diversos fãs e causaram pressões ao Netflix.

O Feedback dos fãs

“As cartas apaixonadas, petições, a voz coletiva que se levantou como o punho da Sun para lutar por essa série foram além do que qualquer um poderia esperar”, falou Lana Wachowski. “Mas esse é um presente dos fãs que eu sempre vou carregar no meu coração: por mais que na maioria da vezes essas decisões sejam de fato irreversíveis, isso não é sempre verdade”, acrescentou. Lançada em 2015, Sense8 teve duas temporadas, além de um episódio especial de Natal, em 2016. A série é responsável por trazer à tona discussões sobre preconceito, homofobia, representatividade de gênero e diversidade, em 16 cidades diferentes. Os episódios refletem os pontos de vista de cada personagem.

O ocorrido mostra que um produto, serviço, empresa ou – hoje em dia- qualquer outra coisa que esteja na rede, tem notoriedade imensurável! O futuro será cada vez mais digital e a internet cada vez mais importante para dar visibilidade aos negócios. Portanto, não deixe nunca de manter sua empresa conectada e as redes sociais extremamente atualizadas e inovadoras. Por isso se tornou fundamental que as empresas colham e monitorem feedback de seus clientes na internet.

Amazon anuncia aquisição da Whole Foods

Amazon anunciou na segunda quinzena de junho, a aquisição da Whole Foods Market Inc. A Whole Foods é muito conhecida pelas suas campanhas de marketing e fidelização de clientes sendo estudo de caso para várias publicações importantes do segmento da comunicação.

A negociação, é a maior que já foi feita pela gigante do comércio eletrônico, e envolve o valor de US$ 13,7 bilhões, incluindo dívida; a Amazon adquirirá a Whole Foods Market por US$ 42 por ação. A oferta de US$ 42 por ação representa um prêmio de 27% em relação ao preço de fechamento das ações Whole Foods na quinta-feira. A negociação foi interrompida a US$ 32,77 no pré-mercado, enquanto as ações da Amazon subiam 0,5%, a US$ 969.

O acordo prevê que John Mackye, co-fundador e diretor executivo da Whole Foods, continue administrando a companhia de alimentos orgânicos que tem sede localizada em Austin, no Texas (EUA). “Milhões de pessoas adoram o Whole Foods Market porque oferece os melhores alimentos naturais e orgânicos “, disse Jeff Bezos, fundador e CEO da Amazon, no comunicado no qual o negócio foi confirmado. Mackey, co-fundador e CEO da Whole Foods, frisou que a parceria é uma oportunidade para maximizar o valor dos acionistas da Whole Foods Market. O Whole Foods Market continuará operando lojas sob sua bandeira e fornecendo alimentos para parceiros ao redor do mundo. A conclusão da transação está sujeita à aprovação dos acionistas da Whole Foods Market e de aprovações regulamentares. As partes envolvidas esperam fechar a transação durante o segundo semestre de 2017.

Veja aqui alguns anúncios da Whole Foods:

Lady Gaga ganha linha própria na Starbucks

Lady Gaga - StarbucksEm 2012, a cantora pop lançou a fundação Born This Way, que foi criada para encorajar jovens devido a questões de bullying, assunto que a cada dia mais tem ganho maior apoio para ser extinto. Hoje a fundação já tem 5 anos e é impossível não perceber o seu sucesso. Ao inaugurar a fundação em 2012, a cantora disse “ Uma “cultura do amor” é necessária para lutar contra a intimidação entre os estudantes e contra a falta de confiança que os adolescentes têm em si mesmos”, e apesar dessa luta não estar finalizada, o bullying não é mais tratado como uma simples brincadeira entre colegas de escola, pois ele pode trazer consequências graves. Tratando-se de engajamento por causas, Starbucks novamente se mostra presente, dessa vez unindo-se a diva pop.

A cantora ganhou uma linha própria de bebidas na Startbucks em uma parceria entre sua fundação, Born This Way Foundation, e a rede americana. Foram desenvolvidos quatro sabores especialmente para a cantora: Ombré Pink Drink, Violet Drink, Matcha Lemonade e Pink Drink. De 13 de junho a 19 de junho, $ 0,25 da venda de cada bebida será direcionada ao projeto Channel Kindness, que incentiva jovens a produzirem histórias de bondade.

O que é Mobile-First?

Você sabe o que é Mobile-First? A era da tecnologia está aí. Não é mais novidade que os dispositivos móveis ultrapassaram os desktops. O uso do 3G cresceu 123% nos últimos 18 meses. Quase metade dos internautas possuem smartphones, sendo que 62% deles têm mais de 25 anos. São mais de 48,3 milhões de usuários pertencentes a classe C. Esta, cresceu 204% em menos de uma década, enquanto a população total cresceu 10%. Mais um dado sobre a classe C: Ela movimenta mais de 495 bilhões de reais em renda própria por ano. Isto é inclusão digital.

Não estou falando dos smartphones que custam R$1500, mas sim dos modelos que usam teclados qwerty e custam R$ 200. Incluir a “massa”, é inclusão digital de verdade.

A grande sacada do momento é o Mobile-First

Se você entendeu os dados citados na introdução desta matéria,  você vai entender que o conceito do Mobile First faz muito sentido, mas vai contra toda uma tradição de desenvolvimento de sites que você está acostumado. A ideia do Mobiles First é que comecemos a desenvolver e planejar projetos web, desde um pequeno site até um grande sistema, primeiramente para dispositivos móveis e somente depois para desktops/notebooks. O caminho era site → adaptação mobile (Mobile Friendly).

Hoje, quem trilha esse caminho ~tradicional~ fica para trás.

Mobile First como funciona

Diferenças do Web Design e o responsivo

A experiência deve ser pensada primeiro para Mobile e o site ser algo à parte dessa experiência. Por isso do termo “Mobile-First” ou “Móvel primeiro”.

Quais as funcionalidades que devem aparecer primeiro na UX do mobile?

O comportamento do consumidor está repleto de “micro momentos” e a UX diz muito sobre isso.  Do momento da primeira pesquisa, contato com o produto, até a decisão de compra e a etapa de fidelização da empresa. São vários momentos. Eis os principais:

See: A audiência está navegando e é impactada por algum conteúdo da empresa despertando a 1ª interação com a marca. Seja ele um vídeo, uma matéria de blog ou afins.

Think: A idéia é reforçar a marca – branding – com seu futuro consumidor. O conteúdo é um pouco mais focado, ainda sem interação de compra. A ideia, mais uma vez, é envolver o seu consumidor. Iniciar a ideia de conversão. Essa etapa deve conter uma micro-conversão).

Do:  O propósito é fechar uma venda, completar alguma etapa/meta importante para o seu negócio. Isso pode ser desde o preenchimento de um formulário de contato até uma venda no seu ecommerce. Você precisa aparecer primeiro, dar ao consumidor o que ele quer e receber o dinheiro em etapas simples e objetivas.

Care: Se o consumidor retorna, ele é seu maior bem. O foco é fazê-lo se sentir especial, bem tratado e com benefícios exclusivos. Isso pode estar em uma estratégia de retargeting ou num disparo de news letter direcionado em especial para ele, com enfoque no comportamento de compra de cada indivíduo (Big Data).

O fato de colocar mobile em primeiro lugar – Mobile First, sacou? 😉 – desfrutamos de uma série de vantagens:

Capacidades técnicas – O uso de acelerômetro, GPS, multitouch, giroscópio, etc.  Tudo isso é proporcionado pela experiência mobile e impossível de acontecer pelo desktop.

Foco – A informação para esta platatorma é diferente do desktop. Pense em como a atenção e conversão do seu público devem ser diferentes nesse ambiente. Informações diretas/precisas, call-yo-action com destaque, menus curtos, atalho para home, campo de busca visível, recursos de busca inteligentes, e por aí vai. Basicamente, Usabilidade e Acessibilidade são as palavras que regem o projeto. A arquitetura da informação, informações que você previa no desktop precisam ser remanejadas, diminuidas e retrabalhadas para que se adaptem nas telas menores. A maioria dos celulares tem algo em torno de 320×480 pixels. Se não tomarmos cuidado, toda a informação pode se perder em uma tela tão pequena. No mundo mobile o simples é a palavra que manda.

É preciso fazer um estudo e chegar a um modelo de aplicação do seu site na plataforma mobile. Uma das alternativas é o menus dropdown. Veja um exemplo:

Diferença email - mobile first
Uma dica para saber as áreas mais acessadas do seu site, antes da construção da experiência mobile, é instalar através do seu Google Analytics uma ferramenta que monitora pelo tempo que você estabelecer os hot spots do site.

Agora, com todas essas dicas, tá mais do que na hora de sair da era jurrássica e vir para a modernidade por que, afinal, Mobile-First, B***! 😉

Entenda o erro na métrica de vídeos do Facebook que deu o que falar

Facebook vídeos

Reprodução: Facebook.com

O Facebook acabou divulgando em um post do seu Centro de Ajuda do anunciante, há algumas semanas atrás que a estatística dos vídeos de propagandas não separava dos números finais pessoas que assistiram o vídeo por menos de 3 segundos ocasionando um número muito inflado de espectadores desses vídeos patrocinados. Mas o porquê de tanta comoção em relação a esse erro? Muita gente começou a contestar os resultados das demais propagandas do Facebook gerando uma verdadeira crise de confiança em relação as campanhas veiculadas na rede social.

A divulgação tem perturbado os anunciantes que compram tempo de vídeo no Facebook, em parte, em torno das que métrica que segundo o Wall Street Jornal estão erradas faz 2 anos.

“Dois anos de relatar números de desempenho inflado é inaceitável”, disse um anunciante do Facebook.

A métrica que foi afetada por esse erro de cálculo do Facebook é chamado de “Average Video Views” que para o português se refere a “duração média do vídeo exibido”. Depois da grande repercussão desse erro o Facebook está substituindo essa estatística com uma medida chamada “Average Watch Time” ou Tempo médio assistido. Veja abaixo o comunicado do Facebook referente a esse erro:

“Nós recentemente descobrimos um erro na forma como calculamos uma das nossas métricas de vídeo”, disse o Facebook em um comunicado. “Este erro foi corrigido e notificamos todos os nossos parceiros, tanto através dos nossos dashboards de produtos. Nós também renomeamos a métrica para tornar mais claro o que medimos. Esta métrica é uma das principais opções que nossos anunciantes utilizam para avaliar as suas campanhas de vídeo “.

O executivo de marketing do Facebook publicou um post respondendo a notícia do Wall Street Journal nessa última sexta-feira.

“Este texto não é apenas sobre este erro” Fischer escreveu. “Isto é sobre quão seriamente nós levamos o compromisso de nossos parceiros para nossa plataforma, e como os seus investimentos com a gente inteiramente dependem da transparência com que nos comunicamos. Sabemos que não podemos ter verdadeiras parcerias com os nossos clientes a menos que façamos o que é certo sendo aberto e honesto com eles, inclusive quando cometemos erros como este. A confiança dos nossos clientes em nossas métricas é essencial para nós e temos que ganhar essa confiança. “

Os anúncios em vídeo são um grande negócio no Facebook. E gera bilhões de dólares em receita todo o ano para a plataforma.

Mas a pergunta que fica é, será que todo esse dinheiro iria para o Facebook se os resultados das métricas de vídeos fossem diferentes?

Facebook tem empurrado vídeo nos últimos anos, em ambos os seus algoritmos e através de plataformas como o Facebook Live. Um executivo do Facebook em junho disse que a rede social será “toda em vídeo” em cinco anos.

Referências:
https://techcrunch.com/2016/09/22/facebook-miscalculation-significantly-inflated-average-video-view-times-for-years/
http://www.wsj.com/articles/facebook-apologizes-for-video-metric-miscalculation-1474641054

Tire proveito do Pokémon Go no Brasil

Pokémon Go

Niantic Inc. / The Pokémon Company

Você já deve ter ouvido falar de Pokémon Go, uma verdadeira febre que está tomando conta do mundo. Multidões estão saindo as ruas para capturar os pequenos monstrinhos da Nintendo. Basicamente o game emula em realidade aumentada os bichinhos para que as pessoas capturem-os. Agora você sabia que tem muitas empresas lucrando com isso?

Como funciona o Pokémon Go?

Basicamente no mapa do jogo existem locais que são chamados de PokeStops, esses locais podem ser qualquer lugar como a frente de uma loja ou até mesmo de uma agência bancária e o jogador ao chegar nesse local ele ganha um item ou um bônus para usar no jogo.  Porém nem todas as empresas tem uma parada, e não há atualmente nenhuma maneira de adicionar ou removê-los, por isso é uma questão de sorte que as empresas são capazes de tirar proveito do jogo. Conforme o jogador anda pelo mapa com ajuda do sinal de GPS ele pode encontrar Pokémons para capturar e outros treinadores. Por isso o jogo virou um fenômeno mundial aliou a velha febre dos anos 2000 com a tecnologia de hoje.

O jogo possui uma funcionalidade de atrair jogadores pelo preço de 2 dolares e com isso um mar de pessoas podem aparecer nesse local módulos possuem uma duração de 30 minutos conforme o número de pessoas aumenta esse local se torna um beacon atraindo pessoas e pokemons  ao local. Imagine agora um Pokestop em frente de um restaurante? Ou até mesmo de um café?

PokeStop

Gameplay: Pokémon Go

Nos EUA muitas empresas estão tirando proveito disso oferecendo descontos para quem utiliza esses beacons assim como quem joga o jogo para atrair um número cada vez maior de pessoas. Algumas lojas tiveram a sorte de possuir um Pokestop em frente de suas vitrines e já estão apresentando lucros maiores que antes do fenômeno do jogo. Além dos negócios locais crianças vendendo limonada no Pokestops também está lucrando com isso. Uma ONG no sul do estado da Flórida está utilizando um Pokestop para atrair doações e voluntários.

O Pokémon Go ainda não foi lançado no Brasil mas quando for aproveite e veja se você não é um sortudo com o PokeStop em frente de sua empresa. Aproveite para pensar como atrair jogadores para o local com descontos, produtos e benefícios.

A criação de um site nunca deve acabar!

Criação de Site

Acervo Edm2

Você sabe por qual motivo a criação de um site não deve nunca terminar. Bom a resposta é simples, basicamente o mundo digital se tornou uma das principais maneiras de se fazer negócios hoje. Imaginar uma empresa sem site é a mesma coisa que a empresa não existir. O website se tornou a plataforma central de interação com o seu cliente. É a primeira impressão e é onde o seu público-alvo vai decidir se eles vão confiar em você ou não. Com isto em mente, existem muitas razões pelas quais você deve estar constantemente pensando em reformular e modernizar o seu site.

Mudanças ocorrem o tempo todo!

A internet está mudando o tempo todo e com uma velocidade cada vez maior. Olhe para um site de cinco anos atrás e os sites de agora, dá para perceber que as mudanças são imensas. Por exemplo o Facebook, Google, Yahoo e várias outras empresas atualizam o seus portais quase todos os anos, muitas fazem alterações todos os meses, e qual a relação dessas alterações na internet com a sua empresa? Tudo, esses sites ditam tendências para um público muito amplo, um público que potencialmente pode ser o seu cliente.

Por que existem tantas mudanças no web design?

Porquê o seu cliente está mudando, a forma que ele consome informações também está! Por isso a sua empresa precisa se adaptar às necessidades e exigências do seu público-alvo. E se você não está preocupado com isso provavelmente o seu concorrente está… Se você não correr atrás dessas mudanças a sua empresa pode perder mercado.

O Google é um dos responsáveis pelas mudanças?

Sim, o Google está sempre mudando as regras, em 5 anos o Google mudou a forma que enxerga os websites mais de 10 vezes, existem até ferramentas que fazem esse monitoramento para identificar o que exatamente o Google mudou. Nos dias de hoje o Google determina as regras do jogo no mercado online principalmente se você precisa do seu site para vender!  E essas mudanças que o Google faz nem sempre está relacionada a SEO.

Não tenha medo de experimentar!

A experimentação faz parte do processo da construção de um site, você não pode temer as mudanças e você também deve considerar que toda alteração em um site está sujeita a alteração no futuro, fazendo com que cada pixel esteja sujeito a alterações. Por isso pare de ficar copiando as coisas que estão por aí na internet e comece a inovar! A experimentação é sempre uma coisa boa. Dividir testar vários elementos da web com frequência faz parte do jogo.

A criação de um site não pode ser uma dor de cabeça!

Melhorar e modernizar um site não pode ser motivo de dor de cabeça. Aqui na Edm2 nós cuidamos do processo de desenvolvimento para que você mantenha o seu website sempre atual, isso faz com que você economize dinheiro e tempo. Além disso manter o seu website atualizado pode atrair cada vez mais leads e novos clientes. Mudar faz bem, pense nisso!

1 2 3 4  Topo