internet

Marketing Online está diminuindo o gasto com anúncios na TV

A maioria dos gastos de vídeo online nos últimos 12 meses é proveniente de orçamentos previamente reservados para a propaganda na TV, de acordo com um estudo recente realizado em todo o mundo pelo Be On, o novo AOL. Apesar de a TV ser considerada um dos principais impulsionadores da consciência, 58% dos entrevistados globalmente e notavelmente, 78% na Europa, disseram que eles poderiam alcançar um maior engajamento e escala com vídeos online.

Mais de 770 especialistas da indústria de marcas líderes, mídia e agências criativas no Reino Unido, Europa e América do Norte foram questionados sobre as suas experiências de uso de vídeo online com a marca ao planejar campanhas de publicidade online.

Segundo a pesquisa, 73% dos entrevistados disseram gastar em vídeos online tinha aumentado ao longo dos últimos 12 meses. TV e exibição foram citados como as duas principais fontes onde o orçamento tenha sido tomado.

Dos entrevistados, 84% acreditam que a Internet está se tornando um meio fundamental para se conectar com os consumidores.

Fonte: Aol

Dicas para uma campanha de E-mail Marketing de sucesso

Algumas empresas ainda utilizam muito mal suas campanhas de e-mail marketing, como mostramos anteriormente no blog, muitos ainda praticam “spam”, ao invés de gerar resultados eficientes. Empresas de e-commerce, principalmente, são as que mais se beneficiam dessa ferramenta. Algumas dicas fundamentais devem ser seguidas para obter sucesso em suas campanhas de e-mail marketing.

Procure realizar campanhas com propósito, estabeleça objetivos, e sempre mantenha o foco, assim você não confunde o seu consumidor. Deixe sempre claro qual o motivo do seu e-mail marketing, seja ele uma divulgação de produto, apresentar uma promoção.

Outro ponto importante é aprender a realidade do seu consumidor, pois a partir do momento em que seu cliente recebe um e-mail seu, inicia-se um canal de comunicação entre você e ele, e uma atenção a mais faz toda a diferença. Essas informações são adquiridas por meio dos dados de análise que são feitos com as ferramentas de e-mail marketing. Esse tipo de ação ajuda você a obter mais sucesso no contato com o cliente.

Analisar! Sempre analise os dados da sua campanha, procure saber o que tem sido feito de errado, onde você obtém mais sucesso, e onde não há resultado nenhum. Observe o comportamento do seu público, e tente sempre estar de acordo com suas necessidades.

Por que ter um site?

Ter um site para sua empresa é, nos dias de hoje, uma das coisas mais fundamentais. Eles auxiliam sua empresa a ficar conhecida no mercado e pelo público. Nele você pode falar sobre sua empresa, seus produtos, seus serviços.

Com o crescimento do acesso a internet, e a consequentemente a procura pela empresa na web, hoje não há mais espaço para “aquele-amigo-que-sabe-fazer-sites”, é necessário desenvolver um site que seja bom, limpo, e que possua as informações mais relevantes sobre o serviço que você presta.

Não possuir um site dificulta muito, além de causar até mesmo certa desconfiança por parte dos potenciais clientes. E não é do interesse de ninguém não ter confiança do público, não é mesmo?

Outro ponto importante é que seu site dever ser pensado para o seu público-alvo, para que ele se interesse em acessá-lo. Não adianta ter um site lindo, mas sem conteúdos que possam ser interessantes.

Para muitos, ter um site apresenta um custo “desnecessário”, porém, é o contrário, não possuir um é perder negócio. Um site é um investimento, sendo bem pensado para a sua empresa, ele trará os bons frutos com o tempo.

Ainda não tem um site para a sua empresa? Então é bom providenciar, não vá ficar para trás no mercado!

Aumenta os números de brasileiros conectados

conectadosO CETIC – Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e Comunicação informou na última quinta-feira, 20 de junho, que 40% das residências no Brasil estão conectadas à internet, representando cerca de 24,3 milhões de casas. A Região Sudeste tem a maior proporção, com acesso a 48% dos domicílios. No Sul, a fatia é de 47%; no Norte, 21%; no Nordeste, 27% e no Centro-Oeste 39% dos domicílios tem acesso à internet.

Com relação ao tipo de conexões, a fixa diminuiu, representando 67% contra 69% no ano anterior. Em contrapartida, os acessos móveis cresceram de 17% para 21%. Os acessos discados vêm caindo significativamente e representam somente 7%.

O levantamento apontou que pela primeira vez a proporção de pessoas que acessaram a internet nos últimos três meses superou as que nunca usaram. A estimativa é que 28,1 milhões de domicílios possuem algum computador. A maior proporção fica na área urbana, com 51% das residências. Na zona rural, apenas 15% das casas têm computador, e não houve qualquer crescimento. Seguindo a tendência, as áreas urbanas continuarão crescendo com velocidades maiores e, de acordo com a afirmação de Alexandre Barbosa, gerente da CETIC, “Se nada for feito em definições e incentivos públicos, vamos ter dois países, um digital e outro não”.

A pesquisa foi feita em mais de 17 mil domicílios no país entre outubro de 2012 e fevereiro de 2013.

Novas Regras para o Comércio Eletrônico

As novas regras para empresas que vendem produtos ou serviços via internet no Brasil já estão valendo.

Em  vigor desde o dia 14 de maio, o decreto Decreto 7962/13 determina que todos os sites são obrigados a divulgar nome e número do CNPJ da empresa e endereço físico e eletrônico em local visível. Além disso, as características essenciais do produto ou do serviço, riscos à saúde e à segurança dos consumidores e discriminação no preço de despesas adicionais ou acessórias, tais como as de entrega ou seguros também deverão ser informadas.

Quanto aos sites de compras coletivas, deverá ser informada de forma explícita e simplificada, a quantidade mínima de consumidores para a efetivação do contrato, o prazo para utilização da oferta pelo consumidor e identificação do fornecedor responsável pelo site e do fornecedor do produto ou serviço ofertado, com as informações de endereço, contato e registro desse fornecedor.

Com relação ao arrependimento da compra, o fornecedor deverá informar de maneira clara os meios que o consumidor poderá utilizar para exercer esse direito, e que não há qualquer ônus, caso o consumidor se arrependa. O prazo para o exercício deste direito é de 7 dias úteis contados do recebimento do produto.

O importante, em todas as situações, é permitir que o consumidor conheça as condições do negócio do produto ou serviço, como as condições integrais da oferta, incluídas modalidades de pagamento, disponibilidade, forma e prazo da execução do serviço ou da entrega ou disponibilização do produto. Vale ressaltar que e-mail é documento e tem validade legal.

A diretora do Procon-PR, Claudia Silvano, adverte que as empresas que infringirem a lei podem sofrer punições como multas, apreensão de produtos, cassação do registro, entre outras. As sanções variam de acordo com o porte da empresa infratora e conforme o número dos consumidores atingidos.

Disponibilizamos link com a íntegra do Decreto nº 7.962, de 15 de Março de 2013:
http://www.jusbrasil.com.br/legislacao/1034424/decreto-7962-13

Saiba por que blogs são importantes

ed-m616711819Os administradores hoje podem ter um tempo difícil para decidir se os blogs devem fazer parte de seu arsenal. O que devemos fazer? Ouvir os consultores de blog? Mas quem lucra com o fenômeno blog? Estamos falando de “agenda oportunista” ou “perspectiva objetiva”?

Que tal os especialistas em marketing? É justo dizer que o blog não pertence a um programa de marketing direto ou “business-to-business”? Por que tantos veteranos se arrepiam com a idéia de blogs?É simplesmente por imaginar poucos resultados? Ou os blogs tocam a sensibilidade de uma “velha escola”, que procura um precedente para comparação?

Há uma década atrás, com o advento da web comercial, os comerciantes enfrentaram um dilema semelhante. Uma parte escreveu que estar fora da web seria insignificante, enquanto outra parte tomou as barricadas, acenando a bandeira da web e proclamando o fim de outros canais. Como aprendemos, os novos veículos não necessariamente substituem os antigos – na verdade, eles precisam sempre ser complementados.

“Tudo bem”, você diz, “a história é correta e boa. Mas o que acontecerá na próxima reunião gerencial, quando o diretor perguntar: “Será que o blog pertence ao nosso programa de comunicação de marketing?” O que digo a ele?”

Primeiro, você pode dizer a ele que os blogs não são uma ferramenta direta e eficaz de marketing. Duvido que algum dia será. Blogar não permite focar precisamente públicos-alvo ou qualquer controle discernível sobre quem vê a sua mensagem. No entanto…

Os blogs já provaram ser úteis em campanhas de publicidade, gerando boca-a-boca e, em alguns casos, a atenção da mídia. Alguns empresários já fizeram o uso mais eficaz de blogs comerciais, com esforços altamente imaginativos atraindo multidões de consumidores. Não há dúvida que esses blogs têm afetado a ligação do consumidor com as marcas.

Os blogs também podem desempenhar um papel importante no marketing business-to-business. Os gurus da administração, oradores e líderes empresariais proeminentes podem exercer algum diferencial nos blogs business-to-business. Tom Peters, por exemplo, tem um blog muito bem sucedido. Para os fãs de Peters, esta é uma dádiva de Deus – o acesso ao pensamento diário de Peters. É claro que, quanto mais as pessoas buscam a próxima idéia de Peters, é bem mais provável que seu próximo seminário vai ficar esgotado e seu próximo livro vai voar das prateleiras. É assim que um Blog pode influenciar o seu público, mas assim como outro meio de comunicação deve ser conduzido com planejamento.

Um bom exemplo é este blog da Edm2, nós postamos aqui informações relevantes do mundo do marketing e utilizamos o blog como um canal de interação com outras pessoas sendo clientes ou não.

Comportamento dos brasileiros na internet

Em uma pesquisa feita pela IAB Brasil, apontam que 80% dos usuários consideram a internet a mídia mais importante, à frente da TV com 50% e do jornal 37%. Em casa, o uso da internet supera a audiência do jornal pela manhã e da TV a noite.  Grande maioria desses usuários considera esse meio um facilitador em atividades na qual tomariam seu tempo, como: Compras, negociações, transações , noticias e etc. Essa pesquisa revela que se os brasileiros tivessem 15 minutos livres, usariam esse tempo para atividades online, pois 36% deles passam mais de 2 horas por dia na internet para fins pessoais.

Hoje a internet é a mídia mais utilizada em todos os lugares e situações de um dia típico de trabalho, escolas, restaurantes, café e etc. Esses acessos acontecem em 77% dos casos em desktop e laptops, os smartphones aparecem com 40% , mostrando o movimento crescente dos aparelhos portáteis.

A mídia digital mostra o papel importantíssimo das redes sociais no planejamento estratégico de marketing e a utilização acentuada do digital Branding evidenciando o novo perfil, cultura e hábitos do consumidor.

Destes consumidores, 57% deles dizem que ações de marketing no meio digital o motivam a comprar produtos, 56% deles dizem visitar lojas a partir da publicidade online, e 60% afirmam buscar informações sobre os produtos oferecidos no ambiente digital.


Fonte: IAB Brasil

Internet supera jornais

A internet superou os jornais e assumiu o posto de segundo meio preferido para investimentos publicitários no Brasil no primeiro quadrimestre do ano. A participação de portais de notícias, sites de busca e de comparação de preços no período alcançou 11,98% das receitas totais. Os jornais impressos ficaram com 11,06% de um bolo publicitário estimado em R$ 6,5 bilhões.

Ao se consolidar como a segunda maior mídia do Brasil, a internet confirma a rápida ascensão, na esteira da popularização da banda larga: no início de 2010 ela recebeu mais investimentos de publicidade que as TVs a cabo e as rádios e no final daquele ano superou o meio revista. Agora, ao passar os jornais, ela perde apenas para a TV aberta, líder com 60,63% do mercado total de publicidade.

Os dados são do IAB-Brasil, associação que reúne os principais sites e portais de internet do país, além de empresas de tecnologia e agências voltadas ao meio digital. Eles confirmam uma irreversível tendência mundial. Lá fora, em todos os grandes mercados nos quais a banda larga atingiu mais de 40% da população, as verbas publicitárias passaram a migrar de forma acelerada para a internet. Foi assim no Japão, Inglaterra e Estados Unidos, países nos quais a mídia digital responde de 20% a até mais de 30% do bolo publicitário total.

No Brasil, a internet alcança atualmente 82,4 milhões de pessoas com mais de 16 anos de idade. Ou seja, os quase 12% de investimentos registrados no primeiro quadrimestre indicam também que, se um patamar importante foi alcançado ao superar os jornais, o Brasil, apesar de já ter uma penetração de internet semelhante a de países desenvolvidos, ainda tem espaço para chegar aos mais de 20% de share.

“O investimento publicitário na internet vem crescendo de 35% a 40% ao ano”, explica Ari Meneghini, diretor executivo do IAB Brasil. E esses percentuais não incluem os crescentes investimentos em publicidade em mídias sociais e parte do mercado de anúncios classificados, acrescenta.

O cálculo feito pelo IAB Brasil para estimar a participação do meio internet no conjunto do bolo publicitário leva em consideração principalmente investimentos feitos em sites de busca, em site de comparação de preços e em displays de grande portais de notícia. O termo display é usado no mercado para denominar um conjunto de 146 formatos padrão de anúncios, que inclui desde banners tradicionais até vídeos publicitários de poucos segundos veiculados antes dos vídeos de conteúdo.

No Brasil, no ano passado, os investimentos em displays, contabilizados pelo projeto Intermeios, somaram R$ 1,45 bilhão. Em sites de buscas e comparação de preços foi investido outro R$ 1,88 bilhão, segundo levantamento realizado pelo próprio IAB Brasil junto a companhias como Google, Yahoo! Brasil, MSN e Buscapé.

Fonte: IG, acessado em 23 de Outubro de 2012 as 00:57AM.
Veja a reportagem completa

 Topo