marketing digital

Cuidados que você deve tomar com sua estratégia de marketing

estratégia de marketing

Independente do segmento de atuação da sua empresa começar a investir em uma nova estratégia de vendas e divulgação é uma atitude que envolve alguns riscos. As estratégias de marketing digital ainda são novidade para a maioria das empresas. Compete-nos abordar, portanto, que, apesar dos benefícios que a internet pode trazer para os programas e para as ações de marketing digital, essa ferramenta, no entanto, apresenta limitações e restrições que precisam ser conhecidas para evitar que as estratégias de marketing enfrentem reveses na implementação de ações e programas criados para promover as organizações.

Redes sociais

Como sabemos, é notório que as mídias sociais atuais, sobretudo o facebook, desempenham um importante papel nos contornos da comunicação empresarial na atualidade. Mais do que uma tecnologia, as mídias são uma das marcas da sociedade contemporânea, que visa a instantaneidade junto à qualidade e à interatividade. Nessa perspectiva, podemos destacar que a maior mudança proporcionada pelas mídias digitais é permitir que qualquer indivíduo possa ser consumidor, produtor e transmitir informações.

Mire no público certo

Mesmo com o melhor produto, preço e anúncio do mundo, se tentar vendê-lo para as pessoas erradas, você vai falhar.

Não faça suposições

Ouça o que o mercado tem a dizer. Ofereça produtos com base nos feedbacks dos seus clientes.
Planeje suas ações

Fazer investimento sem pensar faz com quer você desperdice recursos preciosos para o seu negócio.

Gostou das dicas? Então nada de investir sem antes planejar, hein. Contate a EDM2, nós podemos te ajudar!

Qual o momento certo de investir em marketing digital

marketing digital
Marketing Digital é indispensável nos dias de hoje para qualquer empresa.

Qual o momento certo para investir em marketing digital? A resposta é agora! As grandes transformações no cenário econômico e social ocorridas nas últimas décadas exigiram mudanças profundas de posturas para gerir o negócio no mundo corporativo globalizado. Sendo assim, um fator importantíssimo para que a gestão da comunicação seja implantada de forma estratégica é a mudança no setor de marketing da organização.

Confira algumas transformações deste cenário:

O Mercado

Muitos empreendedores iniciaram suas atividades com pouco conhecimento e, após muito estudo e tentativas, se tornaram grandes exemplos para a comunidade digital.
Apesar de existirem inúmeras estratégias de vendas online, o fator mais importante para o sucesso é estudar o mercado.
É importante, contudo, estabelecer quais são os indicadores mais importantes para seu negócio e acompanhar o desempenho de cada ação implementada, para saber se seu produto tem potencial de crescimento a médio e longo prazo.

Planejamento é fundamental e indispensável

Saiba que planejar é fundamental para obter sucesso em seus negócios. Se você estudou o seu mercado e está oferecendo um produto que agrega valor à vida das pessoas, eventualmente, o retorno financeiro virá.
É importantíssimo também saber quais os canais de comunicação que você utiliza para contatar seu público e oferecer seu produto.

Divulgação é a alma do negócio

Você precisa anunciar seu produto para estas pessoas e, atualmente, há diversas formas de fazer isso como, por exemplo, usando o Facebook, Google Adwords, Native Ads, e por aí vai. Tudo depende de onde seu público está, já que o foco principal é despertar o interesse do cliente pelo seu produto e passar a mensagem de que sua marca está disponível para eles. Veja aqui como a Edm2 pode ajudar sua empresa a divulgar melhor seus produtos e serviços.

3 tendências de marketing para sua empresa

Confira abaixo 3 fortes tendências de marketing para crescer no mundo corporativo e ser bem-sucedido nos negócios, afinal queremos melhorar sempre não é mesmo?

tendencias de marketing para empresas

Responsabilidade social

Responsabilidade social corporativa e marketing de causa são iniciativas que levaram comerciantes do passado a repensarem suas estratégias centrais de marketing. Atualmente, essas duas idéi as migraram para a noção de propósito da marca.

Focar no engajamento

Lembre-se que os consumidores, hoje em dia, não compram coisas, mas compram histórias que ganham vida por meio de uma junção de criatividade e tecnologia.

Propósito, engajamento, histórias, rapidez e interação humanizada são fortes tendências do marketing. Conhecer o cliente muito bem ainda é fundamental e nunca estará fora de moda.

O marketing que conta histórias

O consumidor do século XXI não compra produto ou serviço, mas sim histórias. Interações personalizadas darão mais poder às empresas, principalmente na hora de rever uma estratégia ou mergulhar de forma prudente nas novidades que o mundo atual emerge com tanta velocidade.

Empresas com estratégias focadas em entregar aquilo que os clientes buscam o mais rápido possível, atendê-los em tempo recorde e sem burocracias com certeza ganharão espaço e vantagem competitiva.

Quer ter sucesso no seu empreendimento? Então você deve utilizar a estratégia de misturar criatividade e tecnologia para gerar e entregar histórias que criem conexões duradouras com os consumidores.

Siga essas dicas e boa sorte! Ah, não se esqueça de deixar seu comentário aqui pra gente.

Quais os benefícios do marketing digital?

Marketing DigitalAo que vemos, a atual cobrança da sociedade por informação é o que vem motivando o aumento dos investimentos na área.
Em um mundo altamente conectado, ressaltamos que as tecnologias atuais, sobretudo as redes sociais on-line, deixaram de servir apenas ao entretenimento para ser cada vez mais usadas pelas empresas como ferramenta de relacionamento e representam, contudo, uma forma de comunicação imediata e eficiente para chegar a vários públicos, com uma rapidez essencial para a resolução ou diminuição de impactos causados pela insatisfação dos clientes. A ação tem que ser ágil porque na web os assuntos se alastram com muita rapidez.

Sendo assim, em uma visão mais geral, a tecnologia gerou uma verdadeira revitalização dos modelos de negócio como um todo. E, como na internet todos têm chances de conquistar espaço próprio, a concorrência aumentou assim como a quantidade de ofertas disponíveis. Logo, para atender a uma demanda cada vez mais exigente, empresas têm usados recursos tecnológicos para aprimorar seus negócios e oferecer diferenciais que, em meio a muitas opções, consigam se destacar.

Relação com o cliente é fundamental e peça chave na estratégia de marketing digital

Qualquer empresa depende de consumidores para sobreviver. A transformação digital, por sua vez, tem papel essencial neste quesito, pois permite reunir diversas informações com base no comportamento de nosso público-alvo para estreitar esse relacionamento e personalizar o atendimento.
O objetivo é claro, o foco está no cliente e, com isso, os processos tornam-se mais simples e os resultados são vistos mais rapidamente. A digitalização de processos permite que os profissionais trabalhem de onde estiverem, estejam eles em casa ou não. Isso permite uma maior interação com o cliente, pois, como já falamos aqui anteriormente, é no consumidor que está posicionado o mais importante canhão de luz de qualquer empreendimento que busca ter sucesso no mercado.

Dicas de como ter um email marketing efetivo

O email marketing ainda nos dias de hoje é uma estratégia usada por muitas empresas e que apresenta um ótimo potencial, já que eles trazem um custo menor e um alto ROI. Mas não pense que fazer e-mail marketing é algo simples. É preciso uma estratégia bem desenha e efetiva, que te diferencie dos demais e não deixe quem recebe irritado com os e-mails. Pensando nisso, separamos algumas dicas para a sua estratégia de e-mail marketing.

Assunto do Email marketing – Deve ser cativante 🙂

Essa com certeza é a principal chave para um e-mail marketing assertivo. É importante entender seu público e criar chamadas que atraiam interesse de quem recebe, caso contrário, o conteúdo dele acaba nem sendo conhecido.

Datas Especiais – Uma forma de lembrarem da sua empresa 

As datas comemorativas são as principais oportunidades para envio de email marketing. Porém, você não precisa ficar preso as datas tradicionais, você pode criar datas de acordo com o seu negócio, trazendo ainda mais oportunidades de mercado.

Seja criativo e pense fora da caixa

É importante que seu e-mail marketing traga sem um tom bem-humorado, afinal, ele é uma forma de demonstrar a alegria da sua empresa. Utilizar GIFs, CTAs mais coloridos e personalizados e a emojis, trazem um tom mais divertido e que atraem o leitor para o seu site. Tome cuidado com o excesso de links!

Não faça SPAM! Use listas opt-in 

Use listas opt-in ou de pessoas que realmente se cadastraram para receber o seu conteúdo; Fale com quem quer escutar!

3 Tendências de Mídias Sociais Para Seguir

O ano já está chegando ao fim, e durante 2017, diversas novas tendências e estratégias para as mídias sociais surgiram.

Por isso, e hora de analisar o que foi feito e repensar estrategias para 2018, com tendências que cresceram durante este ano e tem tudo para fazer ainda mais sucesso no ano que vem.

Conteúdo ao vivo

O conteúdo ao vivo no facebook teve um crescimento gigante durante este ano, principalmente entre páginas de jornal e canais de televisão, como a Folha e o Esporte Interativo, realizando entrevistas e cobrindo eventos.

Mas não foram só eles os responsáveis por esse crescimento de estratégia. diversas marcas também se utilizaram dos vídeos ao vivo para mostrar presenças em eventos e trazer informações relevantes.

Com os vídeos ao vivo disponíveis tanto no Facebook quanto no Instagram, as marcas criaram laços de envolvimento com quem não estava presente em algum evento ou ação através da ferramenta.

E-commerce nas redes sociais

As principais redes sociais implementaram novas formas de se comprar produtos diretamente de seus apps.

Com isso, algumas marcas passaram a focar em call to action em fotos de produtos e serviços oferecidos, aumentando suas taxas de conversão.

Conteúdo Humanizado

Trazer o seu consumidor para perto de você passou a ser prioridade. O diferencial, hoje, é criar laços e trazer a sua marca de forma mais palpável para ele.

Esse tipo de conteúdo mostra outro lado da sua marca, com conteúdos mais autênticos.

Alguns exemplos desse conteúdo são vídeos de bastidores, sorteios.

Melhore o SEO com dicas simples

Administrar um site e-commerce não é uma tarefa tão fácil, além da preocupação com o próprio site, existem as diversas estratégias a serem pensadas para atrair cada vez mais compradores e clientes fiéis ao seu site.

Separamos algumas estratégias fundamentais que devem ser abordadas em um planejamento de e-commerce para que ele tenha melhores resultados.

SEO

Construir e aplicar uma estratégia efetiva de SEO é um dos primeiros passos a serem dados em um e-commerce. É através da construção deles que você conseguirá atrair um tráfego mais qualificado para o seu site.

O ideal é determinar palavras-chave que estejam de acordo com a sua loja virtual, aumentando cada vez mais as chances de um novo interessado no que você tem a vender. E, quanto mais interessados, maior a probabilidade de compra.

MARKETING DE CONTEÚDO

O marketing e conteúdo são fundamentais para as estratégias de e-commerce. Além de ajudar no rankeamento de mecanismos de busca, algo muito importante para o tráfego do site, ele também passa autoridade naquilo que você faz.

Uma página de facebook atualizada e com informações importantes é algo necessário. Em alguns casos, possuir um blog também é ótimo, já que é mais uma forma de atrair e fidelizar clientes.

REMARKETING

Já falamos por aqui sobre o remarketing e de sua importância para os e-commerces. Ele tem a responsabilidade de ajudar no aumento das taxas de conversão, direcionando anúncios para quem entrou no seu site, mas não efetuou comprar.

Com as impressões pós-visita, aumentam as chances de você atrair novamente quem acessou, ficando cada vez mais próximo de fidelizá-lo.

PÓS-VENDA

Esse talvez seja um dos mais importantes aspectos de um e-commerce, já que é o momento de fidelizar seus clientes.

Procure levar a melhor experiência de compra para os seus clientes, pontos que são de suma importância para quem compra e fazem com que eles voltem a comprar.

O que é WEB 3.0?

Web 3.0A web que você conhece atualmente vai morrer.
Muitas mudanças ocorreram desde 1980, quando o conceito do navegador  WWW (World Wide Web) foi usado pela primeira vez em um projeto paralelo criado para o CERN (Organização Européia para Investigação Nuclear), o ENQUIRE¹.   Esse projeto já esboçava alguns traços que seriam adotados mais tarde , no final da década de 90. O projeto, inicialmente, tinha o intuito tornar mais fácil o compartilhamento de documentos e pesquisa entre os colegas de Lee.  Ao que parece, deu muito certo, não é mesmo?
Hoje, fala-se muito na virada da WEB 3.0. Antes de falarmos sobre ela, vamos recaptular as irmãs mais novas:

WEB 1.0


Essa foi a primeira etapa na evolução conceitual da World Wide Web e, basicamente, nessa fase a internet só permitia a troca de informações de maneira estática. Você pode identificar essa etapa no começo dos anos 90 com uma infinidade de páginas de empresas e instituições recheados de “Página em Construção”.  Ainda não estávamos preparados para isso. Exigia-se uma organização dos dados. Essa era foi  quando começamos a utilizar os e-mails, a participar em fóruns, podíamos ler textos e ver imagens – a Era da Web de Conteúdo. As informações surgiam e precisavam ser catalogadas nesse lugar chamado INTERNET.

Mesmo muito diferente do que conhecemos hoje, a internet foi uma revolução para todos aqueles que dependeram toda a vida de bibliotecas, correios e telefones para trocar informações, aprender ou consultar. Usamos essa fase para catalogar todas as informações virtualmente. Agora que a casa está arrumada, partimos para uma nova fase.

WEB 2.0

Eis que surge uma nova fase, a da WEB 2.0, lá pelo ano 2000.

Ela se destaca da web anterior pelas possibilidades de interação no ciberespaço, sobretudo através das mídias sociais. Tínhamos entrado na Era Web da Comunicação e aqui, neste tempo e espaço, surgem 3 principiais segmentos que vão se anexar à nova era digital: o mercado, a comunicação e o entretenimento.

O mercado enxergou a potencialidade das mídias digitais como meio de captação ou fidelização de seus clientes, com custos muito menores que as mídias tradicionais ofereciam (e com possibilidades de uso de imagem, som ou audiovisuais também).  A internet acaba por permitir que as empresas pudessem entrar diretamente dentro dos seus aglomerados populacionais digitais e também que pudessem comunicar com os seus clientes de forma otimizada (Social commerce, Ecommerce, etc) e com este novo modelo de comunicação surgem os blogs, sociais networks, wikis, messengers, crowdsourcing, mídias sociais, aplicativos móveis, etc. Já no entretenimento, surgem os  vídeos virais, widgets, P2P, dentre outros.

Sabemos que neste momento a web 2.0 já atingiu o seu ponto máximo e que por meio da evolução de smartphones e o melhoramento contínuo da tecnologia, uma Web 3.0 está ganhando forma, com mais ofertas e mais soluções de navegação, permitindo aos consumidores pesquisar informações a partir de qualquer ponto do mundo de forma altamente eficaz e isto obriga inevitavelmente a uma mudança no formato do marketing, focado cada vez mais nos dispositivos móveis, por exemplo. Por isso é preciso que as empresas se mantenham constantemente adaptadas às novas tendências, se elas querem vingar no mercado.

Então surge uma nova ideia, capitalizar-se a Web 3.0, oferecer uma experiência móvel única (saiba mais sobre Mobile First aqui) aos usuários, comunicar eficazmente e assim conseguir clientes de forma mais fácil e, sobretudo, eficaz.  O benefício a longo prazo de implementar uma estratégia Web 3.0 é a inteligência melhorada e o compromisso com os clientes. Cercar o consumidor de forma eficaz em todas os momentos de microconversão diária.

Vamos recaptular, migx!  😀

RECAPTULANDO:

Vamos então resumir a evolução da Web pelas suas várias etapas. A Internet desenvolveu-se de 1.0, 2.0 a 3.0.

A Web 1.0 foi a conectividade na web: os gigantes daquela época catalisados pelo Netscape foram AOL, Yahoo e Google.  Esses carinhas pegaram as informações e catalogaram num ambiente onde todos podem acessá-las num estalar de dedos.

A Web 2.0 foi a era das mídias sociais com o Facebook, LinkedIn, Instagram e outros. Tínhamos os dados organizados e agora podemos gerar interações entre o públicos permitindo compartilhamento e interações de conteúdos.

Já a Web 3.0, saltamos para um novo patamar de compras virtuais online e tradeshows virtuais. Nessa era, e com os avanços tecnológicos, a interação com os dispositivos consegue alcançar um novo nível de inteligência. Por exemplo, a Web 3.0 nos permite perguntar aos nossos telefones onde é o cinema mais próximo e onde depois jantar.  Ou seja, os recursos tecnológicos disponíveis nos gadgets permitem que o céu não seja mais o limite. Consequentemente, a evolução tecnológica irá permitir que os nossos dispositivos aprendam mais sobre nós, sobre as nossas preferências (uniões de venda com restaurantes e rede por exemplo) ao ponto de simplesmente podermos perguntar “onde eu devo ir jantar” e surgirem respostas do nosso interesse. Tudo isso embasado na experiência armazenada nos dispositivos e conectadas ao seu perfil de consumo. Um algoritmo que sabe o que você quer antes mesmo que você saiba. 😉

A web 3.0 é tudo sobre a personalização e Web semântica, integrando dados em tempo real em plataformas diferentes simultaneamente. A tecnologia semântica criará um formato significativo em volta de interação humana online e interesses humanos. Este formato permitirá melhor matchmaking e distribuição de conteúdo online, uma ótima oportunidade para o desenvolvimento de marketing e aplicativos, além do melhor controle do isolamento online por meio de controle inteligente.

E você, pronto para o futuro?

1 [ENQUIRE] – Projeto usado para reconhecer e armazenar associações de informação. Foi desenvolvido por Tim Berners-Lee no segundo semestre de 1980 enquanto o mesmo trabalhava no CERN.

Como usar emojis em suas campanhas de marketing

Reprodução: Emoji chorando de rir

Reprodução: Emoji chorando de rir

Emojis assumiram uma parte significativa da comunicação on-line, com as pessoas que os usam para expressar sentimento, um gosto ou um interesse sem usar a escrita. O termo “emoji” tornou-se tão popular que foi nomeado por alguns dicionários estrangeiros como palavra do ano para 2015, e podemos notar também que grandes marcas começaram a incorporar o uso dos emojis em suas mensagens nas redes sociais, email marketing e até mesmo correspondências. É muito comum ver empresas tirarem proveito de tendências populares pra passar um posicionamento de arrojado e moderno mas muita gente não sabe quando e como usar emojis principalmente na interação com o seu público.

Aqui no Brasil vimos o Itaú fazer uso dos emojis em toda a sua campanha corporativa para interagir com o público mais emergente de todos: os millenials e de quebra tentar passar uma imagem moderna, digital e divertida do banco, mas o uso de emoji na comunicação corporativa já estava sendo explorada no exterior a muito tempo…

Comunicação do Banco Itaú com uso de emojis

Comunicação do Banco Itaú com uso de emojis

De acordo com a consultoria estados unidense a Socialbakers em sua análise de 500 marcas diferentes do mercado norte americano, 59% delas fazem uso de emoticons em seus tweets em 2015, ao mesmo tempo, 40% deles incluem em posts no Facebook. Já outra consultoria a Appboy em um estudo publicado recentemente diz que houve um aumento de 777% do uso de emojis em campanhas de marketing entre 2015 e 2016.

Foi determinado pelo mesmo estudo que 92% dos usuários online usam emojis pelo menos uma vez por dia, o que prova como os pequenos símbolos transformou-se na nova gíria internet.

É interessante observar as razões para que as pessoas usam emojis e não é apenas sobre ser divertido. Na verdade, as pessoas usam emojis com a finalidade de melhorar a comunicação on-line, para ser entendido, para adicionar um sentimento, ou simplesmente para se expressar o mais rápido possível, da maneira mais adequada.

Devo ou não usar emojis nas campanhas da minha empresa?

Os emojis podem ajudar uma marca adicionar um elemento pessoal às suas mensagens de marketing e criar um apelo emocional e divertido com o seu público. É como se a marca de empresa expressasse emoções humanas. Mas antes de começar colocar emoji em todo lugar você deve determinar exatamente como, quando e onde utilizar para que o divertido não fique apelativo, forçado ou exagerado. Abaixo montei algumas perguntas simples de como determinar o uso dos emojis:

  1. Como o meu público-alvo interage on-line?
  2. Os emojis ajudaram a reforçar a minha mensagem?
  3. Que emoji pode ser mais adequado para representar a minha mensagem ou a minha empresa?
  4. Eu realmente sei o significado dos emoji que quero usar?
  5. Quantas vezes devo usá-los?

Sendo assim, a utilização de emojis depende também do público alvo, relevância, afinidade e frequência para que não fiquem “forçados”.

Veja como alguns exemplos de marcas que estão usando emojis na sua comunicação e inspire-se!

Tweet da Domino’s Pizza, nem precisa traduzir o emoji diz tudo <3

Emojis na comunicação da Domino's

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Outro exemplo bacana do McDonalds no Reino Unido bem parecida com a campanha do Banco itaú só com Emojis

Emoji McDonalds

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O SAC online da Arezzo responde com emojis:

Arezzo SAC 2.0

 

 

 

 

 

 

 

Outro exemplo de uma campanha da Delta Airlines com um emoji sorrindo:

Emoji na Delta Airlines

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook da Porto Seguro:

Porto Seguro com Emojis

O que é Nanopublicidade

multiA Nanopublicidade foca no direcionamento de campanhas de acordo com o perfil de pequenos grupos de pessoas definido, os chamados nanonichos. Mesmo sendo menores, esses aglomerados interagem entre si e com as empresas. Ela veio para complementar o modelo de publicidade já existente, adequando-as às novas exigências do mercado. Uma forma de segmentar e filtrar ainda mais o publico alvo.

Mas, como são definidos os nanonichos?

É preciso uma série de estudos a fim de entender quem são as pessoas que compõe esses grupos, suas necessidades, anseios e como personalizar as ações para melhor atendê-los. Os nanonichos podem ser definidos a partir de características como faixa etária, escolaridade, localização geográfica etc.

O processo desse novo tipo de publicidade baseia-se em atingir um número considerável de clientes com o mínimo de desperdício financeiro, tempo e trabalho. Para que isso aconteça, é necessário uma série de estudos a respeito de cada grupo, traçando perfis de suas necessidades, levando em conta o comportamento do consumidor. A Nanopublicidade veio para complementar a publicidade já existente, chamada de tradicional. Ela também pode ser aplicada em qualquer veículo, online ou off-line.

 

1 2 3 4  Topo