Edm2

Posts by: Edm2

A Equipe Edm2 publica informações relevantes sobre marketing e administração para manter você informado sobre as ultimas tendências do mercado.

Como melhorar as vendas on-line?

Vender produtos on-line na internet é uma tarefa complicada. Afinal são diversos aspectos que devem ser levados em conta na hora de melhorar seu site para que seus clientes comprem. E são algumas delas que trazemos para você.

Fique atento ao seu SAC e mantenha seu cliente satisfeito

Um dos primeiros fatores que os novos clientes procuram são as opiniões. Manter os reviews do seu site e dos seus produtos positivos faz toda a diferença na hora de captar e fidelizar clientes.

Ofertas e Promoções

Impossível negar que quem compra está sempre em busca de promoções e vantagens na hora de decidir. Segundo pesquisas do Boston Consulting Group, 74% das pessoas disseram que a maior influência na hora de comprar é o frete grátis.

Você pode utilizar de outras estratégias, como cupons de desconto e datas promocionais.

Estratégias de Preço

Preços “quebrados”, como R$99,90 tendem a chamar mais atenção do que preços cheios como R$100. Isso aumenta o percentual de compra do produto.

Outro fator é o preço parcelado. Segundo o SPC Brasil, 79% dos consumidores compram parcelado. Portanto, mostrar os valores parcelados logo de cara chama atenção dos compradores.

Segurança da Operação

Um ambiente seguro para compra é essencial para qualquer site de e-commerce. O cliente quer ter a certeza de que está protegido durante toda a sua compra, não correndo o risco de ter seus dados clonados.

Existem diversos selos e certificados de segurança que ajudam a dar ainda mais credibilidade para o seu site.

Compra Mobile virou moda!

Cada vez mais as pessoas realizam suas compras e pesquisas através do celular. Portanto, seu site deve estar acessível e com uma experiência mobile.

Em alguns casos, um aplicativo também é uma ótima saída.

Gostou das nossas dicas? Agora é hora de aplicá-las!

Captar clientes na era digital

Captar Clientes: Vender é uma das principais tarefas para a sobrevivência de muitas empresas. Por isso, é importante trabalhar da melhor forma possível à captação de clientes, fazendo com que seu negócio cresça constantemente.

Pensando nisso, trazemos algumas dicas para o seu sucesso na hora de encontrar novos clientes, entre elas estratégias simples e pontuais e outras que devem ser pensadas em longo prazo.

Tenha um site simples

Hoje em dia, o maior número de acessos é feito por celulares. Portanto, é essencial que você tenha um site com design responsivo e que seja simples de navegar.

Fluxo de Emails

Mantenha o interesse dos seus clientes vivo.

Uma forma interessante de fazer isso é investir nos e-mails marketing. Crie um fluxo de e-mails segmentados, criando conteúdos relevantes para seus clientes e prospectos.

Entenda o que seu cliente procura

Quem comprará de você? Essa pergunta é essencial para saber como decidir suas estratégias de captação.

E não é só entender as necessidades do seu cliente é que é preciso. Entenda também o que ele espera da sua empresa.

Observe a concorrência

Não copie seus concorrentes, mas busque saber o que eles fazem de bom e ruim e quais são os resultados vistos nas ações deles. Dessa forma, você saberá o que fazer de certo, e evitar o que dá errado.

Por fim, mantenha seu serviço sempre constante e bem feito, fazendo com que seus clientes passem sua empresa adiante. Afinal, o marketing feito de forma espontânea também é um ótimo aliado.

Instituto Ronald McDonald reposiciona sua marca

Arrecadar recursos financeiros para sustentar programas sociais é uma missão desafiadora. Assim, o marketing de organizações sem fins lucrativos se faz igualmente importante como para as empresas do setor produtivo.

Ainda que apoiado pela maior e mais conhecida empresa de serviço rápido de alimentação do mundo, o Instituto Ronald McDonald encontrou dificuldades para divulgar suas iniciativas. Pela primeira vez, a organização busca padronizar sua marca e assim disseminar com maior efetividade seus programas.

No último dia 10, o Instituto lançou quatro campanhas em âmbito global com o tema “Keep Families Close” (“Aproximando as Famílias”, em português). A ideia conceitual se refere a significar família além da forma tradicional; considerando enfermeiros, médicos, assistentes sociais e equipe. No Brasil, a divulgação da marca está sob responsabilidade da agência Kindle.

A campanha busca também mudar a perspectiva diante da doença, atenuando o medo e tristeza, além de levantar o debate sobre o câncer. Antes, no início dos anos 90, o câncer de uma forma geral apresentava apenas 20% de chance de cura, hoje em dia esse indicador se apresenta como 75% – de acordo com Francisco Neves, superintendente do Instituto.

Incluindo peças de mídia impressa, mídias sociais, há quatro vídeos de quatro crianças atendidas pelo Instituto contando sua história de forma leve e com sorriso no rosto. As histórias narradas contaram com as vozes de personalidades como Deborah Secco, Fernanda Gentil, Thiago Lacerda e Zico.

A data para a próxima grande ação da marca será no dia 26 de agosto, o McDia Feliz. O evento terá como embaixador o comediante e ator Fábio Porchat.

Remarketing aplicado para Vendas

Você já reparou que depois de entrar em um site de e-commerce, e, principalmente, se não realizar ou não finalizar uma compra, o produto que estava procurando vai continuar aparecendo para você diversas vezes?

Isso é o remarketing.

O remarketing é um dos maiores aliados do e-commerce, e tem como objetivo tentar atrair pessoas que não finalizaram uma compra por meio de novos anúncios em outros sites acessados.

Muitas vezes esses anúncios vem com atrativos como descontos, que aumentam a chance de você acessar e finalizar sua compra.

Essa estratégia é possível por conta dos cookies, um tipo de arquivo que armazena informações importantes dos seus acessos e permite ao site de e-commerce saber os produtos que você visualizou e seus interesses na internet.

O objetivo do remarketing trazer um aumento de conversão de compras para o seu site, um dos maiores desafios de sites e-commerce nos dias de hoje, já que a taxa de conversão aqui no Brasil é inferior a 2%.

Com ele, é possível exibir mais vezes o seu produto, colocar descontos que atrairão para a compra, aumentar o reconhecimento da sua marca e diminuir a taxa de abandono no carrinho.

Hoje existem diversas ferramentas que permitem a implantação do remarketing como o Google AdWords, Facebook Ads, AdRoll, entre outros. Essas ferramentas auxiliam na medição das suas campanhas, mostrando dados como CTR (taxa de cliques), CPC (custo por cliques) e ROI (retorno sobre investimento), métricas essenciais para ter sucesso na sua campanha.

O remarketing, feito com sabedoria, é mais uma das ferramentas que ajudará a sua marca a ter mais reconhecimento e criar um relacionamento com o cliente, fazendo com que ele esteja cada vez mais fidelizado a você.

Dica de Vendas: AMOR ou DOR – Qual dos dois ajuda mais na hora fechar um negócio?

VendasOutro dia, o gerente do banco em que tenho conta me ligou. Depois do breve “quebra-gelo”, começou a me dizer como o seu tio tinha perdido em um incêndio a casa, todos os móveis, os quadros, entre outros objetos de valor e estima. No fim, ele arrematou dizendo que a coisa toda era ainda pior, porque o tio nunca fizera um seguro contra incêndio. Acabei perguntando qual era o valor aproximado do prejuízo e quanto teria custado o seguro que evitaria aquela perda. Em dez minutos de conversa, eu tinha comprado uma apólice de seguro contra incêndio.

Outro dia, o gerente do banco em que tenho conta me ligou. Depois do breve “quebra-gelo”, começou a me dizer como o seu tio tinha perdido em um incêndio a casa, todos os móveis, os quadros, entre outros objetos de valor e estima. No fim, ele arrematou dizendo que a coisa toda era ainda pior, porque o tio nunca fizera um seguro contra incêndio. Acabei perguntando qual era o valor aproximado do prejuízo e quanto teria custado o seguro que evitaria aquela perda. Em dez minutos de conversa, eu tinha comprado uma apólice de seguro contra incêndio.Pouco tempo depois, conheci o irmão de um amigo, o qual logo começou a me falar sobre as inúmeras vantagens de dormir em um colchão magnético. Foram quase 30 minutos de conversa sobre como aquele colchão acabava com as doenças provocadas por questões de postura, as vantagens do uso de tecidos inventados pela Nasa, entre outras coisas. Ouvi tudo pacientemente (para não perder o amigo), despedi-me e fui embora descansar no meu querido colchão de molas.

Essas duas histórias me fizeram pensar sobre uma questão que, tenho certeza, incomoda tanto a mim quanto a você. Afinal, o que é melhor: reforçar os benefícios de usar o produto/serviço, enfatizando os ganhos, ou reforçar os problemas/prejuízos que podem surgir caso o cliente não use o produto/serviço, enfatizando as perdas? Acho que existe espaço para as duas táticas. Mas, para escolher a melhor, é preciso:

• Estar informado se o cliente tem algum interesse explícito ou implícito sobre o produto.
• Saber utilizar uma argumentação que demonstre sempre a preocupação com o cliente.
• Não cansar o cliente com detalhes técnicos que, na maioria das vezes, passam longe de seu interesse.

Meu gerente sabe que sou uma pessoa preocupada com a proteção de meu patrimônio e que também tenho uma corretora de seguros amiga, com quem costumo trabalhar. Tenho certeza de que foi por isso que ele me ligou, não para oferecer um seguro, mas para me mostrar como as pessoas que negligenciam certos riscos podem sofrer perdas financeiras significativas.

Em momento algum o gerente falou que eu também poderia ser vítima de um incêndio. Não tentou me explicar o que o seguro oferecia como cobertura, nem se ofereceu para me enviar uma proposta. Ele simplesmente aguçou minha curiosidade e deixou que eu fizesse as perguntas. Em outras palavras, ofereceu a isca, e eu a engoli por inteiro.

Já o irmão do meu amigo começou a falar sobre as vantagens dos colchões magnéticos que vende, passando a explicar como as pessoas tinham se livrado de problemas de coluna, dores lombares, artrite, artrose, entre outras mazelas, simplesmente comprando, dele, um colchão especial que descobri, no fim, que custava mais de 5 mil reais.

Ele não me perguntou como é minha coluna ou se minha namorada gosta ou não do colchão da minha cama. Pura e simplesmente, despejou sobre mim um grande número de argumentos técnicos, cuja metade eu ignorei e a outra parte, confesso, não consegui entender.É por isso que sugiro: na próxima vez que você for abordar um cliente, lembre-se de falar das dores dele, e não do amor que sua empresa tinha quando desenvolveu aquilo que você vende. Fazer isso pode ser fácil se você falar das coisas que interessam – ou podem interessar – a ele, e não a você. Não fique aí pensando que isso é muito difícil. Imagine a melhor forma de fazê-lo, seja ousado e aja.

Feedback na Internet

No último dia 29 de Junho, a Netflix anunciou a volta do seriado Sense8, em um episódio final de duas horas. Tudo isso, graças as reclamações feitas por inúmeras pessoas nas redes sociais, em torno do fim do seriado. A confirmação deu-se por meio de vídeo, no Facebook da plataforma de streaming, e por um comunicado de Lana Wachowski, uma das produtoras de Sense8, no Facebook da série. “De forma improvável, inesperada, seu amor trouxe Sense8 de volta à vida”, disse Lana Wachowski, na carta.
Os cancelamentos de séries estão aborrecendo muitos adoradores do Netflix. Para justificar o cancelamento de Sense8, Roberto Malerva, também produtor do seriado, disse que a série possuía um custo elevado e uma produção complexa. Segundo estimativas, o valor de cada episódio de Sense8 girava em torno de US$ 9 milhões. Porém, as não renovações de Netflix não pararam. As séries The Get Down e Girlboss também foram canceladas, pela plataforma. Estes fatos geraram o descontentamento de diversos fãs e causaram pressões ao Netflix.

O Feedback dos fãs

“As cartas apaixonadas, petições, a voz coletiva que se levantou como o punho da Sun para lutar por essa série foram além do que qualquer um poderia esperar”, falou Lana Wachowski. “Mas esse é um presente dos fãs que eu sempre vou carregar no meu coração: por mais que na maioria da vezes essas decisões sejam de fato irreversíveis, isso não é sempre verdade”, acrescentou. Lançada em 2015, Sense8 teve duas temporadas, além de um episódio especial de Natal, em 2016. A série é responsável por trazer à tona discussões sobre preconceito, homofobia, representatividade de gênero e diversidade, em 16 cidades diferentes. Os episódios refletem os pontos de vista de cada personagem.

O ocorrido mostra que um produto, serviço, empresa ou – hoje em dia- qualquer outra coisa que esteja na rede, tem notoriedade imensurável! O futuro será cada vez mais digital e a internet cada vez mais importante para dar visibilidade aos negócios. Portanto, não deixe nunca de manter sua empresa conectada e as redes sociais extremamente atualizadas e inovadoras. Por isso se tornou fundamental que as empresas colham e monitorem feedback de seus clientes na internet.

Amazon anuncia aquisição da Whole Foods

Amazon anunciou na segunda quinzena de junho, a aquisição da Whole Foods Market Inc. A Whole Foods é muito conhecida pelas suas campanhas de marketing e fidelização de clientes sendo estudo de caso para várias publicações importantes do segmento da comunicação.

A negociação, é a maior que já foi feita pela gigante do comércio eletrônico, e envolve o valor de US$ 13,7 bilhões, incluindo dívida; a Amazon adquirirá a Whole Foods Market por US$ 42 por ação. A oferta de US$ 42 por ação representa um prêmio de 27% em relação ao preço de fechamento das ações Whole Foods na quinta-feira. A negociação foi interrompida a US$ 32,77 no pré-mercado, enquanto as ações da Amazon subiam 0,5%, a US$ 969.

O acordo prevê que John Mackye, co-fundador e diretor executivo da Whole Foods, continue administrando a companhia de alimentos orgânicos que tem sede localizada em Austin, no Texas (EUA). “Milhões de pessoas adoram o Whole Foods Market porque oferece os melhores alimentos naturais e orgânicos “, disse Jeff Bezos, fundador e CEO da Amazon, no comunicado no qual o negócio foi confirmado. Mackey, co-fundador e CEO da Whole Foods, frisou que a parceria é uma oportunidade para maximizar o valor dos acionistas da Whole Foods Market. O Whole Foods Market continuará operando lojas sob sua bandeira e fornecendo alimentos para parceiros ao redor do mundo. A conclusão da transação está sujeita à aprovação dos acionistas da Whole Foods Market e de aprovações regulamentares. As partes envolvidas esperam fechar a transação durante o segundo semestre de 2017.

Veja aqui alguns anúncios da Whole Foods:

Lady Gaga ganha linha própria na Starbucks

Lady Gaga - StarbucksEm 2012, a cantora pop lançou a fundação Born This Way, que foi criada para encorajar jovens devido a questões de bullying, assunto que a cada dia mais tem ganho maior apoio para ser extinto. Hoje a fundação já tem 5 anos e é impossível não perceber o seu sucesso. Ao inaugurar a fundação em 2012, a cantora disse “ Uma “cultura do amor” é necessária para lutar contra a intimidação entre os estudantes e contra a falta de confiança que os adolescentes têm em si mesmos”, e apesar dessa luta não estar finalizada, o bullying não é mais tratado como uma simples brincadeira entre colegas de escola, pois ele pode trazer consequências graves. Tratando-se de engajamento por causas, Starbucks novamente se mostra presente, dessa vez unindo-se a diva pop.

A cantora ganhou uma linha própria de bebidas na Startbucks em uma parceria entre sua fundação, Born This Way Foundation, e a rede americana. Foram desenvolvidos quatro sabores especialmente para a cantora: Ombré Pink Drink, Violet Drink, Matcha Lemonade e Pink Drink. De 13 de junho a 19 de junho, $ 0,25 da venda de cada bebida será direcionada ao projeto Channel Kindness, que incentiva jovens a produzirem histórias de bondade.

Como será o uso do Machine Learning no Marketing Digital?

Machine Learning no Marketing Digital

Machine Learning no Marketing Digital

Na quarta feira, 31 de maio, o Google realizou a edição de 2017 do Think with Google. Este evento foi desenvolvido pela companhia, para apresentar ao mercado brasileiro as contribuições do Machine Learning para o futuro do Marketing e da Publicidade.
“O Google já está usando Machine Learning hoje em dia para combinar o que é objetivo de negócio com o comportamento de navegação dos nossos consumidores potenciais. E isso ocorrer em uma escala e em uma velocidade que seriam impossíveis de obter manualmente. Você pode usar essa tecnologia para conhecer cada pessoa e falar com toda a sua audiência de forma muito mais customizada”, afirma Fábio Coelho, presidente do Google Brasil.

Para que todas as empresas possam usufruir desse novo mundo, será necessário que amplifiquem o poder de suas coletas de dados. Isso significa que o maior desafio será extrair os dados corretos neste enorme universo de consumidores que são capturados pelas marcas e através de plataformas do marketing digital. Com o crescimento e o uso de smartphones, que faz parte de 100% da jornada diária de um indivíduo nos dias atuais, consumindo informações a todo momento, exige que a coleta de dados seja ainda mais acertiva. Talvez o ideal seja combinar cada vez mais os dados primários das marcas com os dados terceirizados (e anônimos) das plataformas, para conhecer melhor o comportamento dos consumidores e os KPIs mais relevantes para cada marca.

“Essa abordagem nos ajuda não focar só no retorno do investimento [ROI], mas também no retorno do desempenho [ROAS]. As empresas que terão mais sucesso serão aqueles que aprenderem mais rapidamente a fazer isso”, explica Fábio Coelho.

Fábio Coelho e o Diretor do Google Américas, Avinash Kaushik, mostraram-se particularmente entusiasmados com os com os avanços de Machine Learning para smart bidding ( especialmente no AdWords ). Defina os resultados desejados (CPAs alvo, ROAS, CPC aprimorado) e deixe a inteligência ajudá-lo a atingir seus objetivos – sem microfiguração humana! “Levar a mensagem correta para a pessoa certa no momento certo, de verdade”, diz Avinash.

De acordo com Avinash, a maioria das campanhas segmentadas manualmente (mesmo com o uso de uma ferramenta) leva em conta três ou quatro sinais: Palavra-chave, horário e local. por exemplo. Mesmo as abordagens mais “automatizadas” acabam usando um punhado a mais de parâmetros. Com Machine Learning será possível usar as centenas (e isso não é uma metáfora, ressaltou o executivo) de sinais que o Google ou o Facebook têm sobre os consumidores para entregar o anúncio certo. Não há nenhuma maneira de qualquer abordagem atual resolver isso.

Segundo o Google, para agradar o e fidelizar os clientes, as marcas precisam estar cada vez mais presentes, se tornarem relevantes e convenientes em todos os passos da jornada dos consumidores, especialmente nos smartphones.

Resumindo, as marcas precisam ser mais úteis, responder rapidamente as intenções imediatas de consumo e, até mesmo, antecipar as necessidades dos consumidores.

Novos aparelhos inteligentes vão surgir e, conforme os consumidores adotarem formas mais naturais de interação com eles (comando de voz, por exemplo), esses momentos se multiplicarão. Com o Machine Learning melhorando a experiência do usuário, de maneira cada vez mais sofisticada, a expectativa do consumidor por experiências relevantes, personalizadas e convenientes também  ficará cada vez mais alta.

Portanto, na Era da Assistência, criada pelo Google, apenas estar presente nos micromomentos que fazem diferença para o público não será suficiente. A expectativa será de estarmos sempre um passo adiante dos consumidores e de conhecermos suas necessidades melhor até que eles mesmos.

As marcas que quiserem ter sucesso deverão ter um conhecimento muito mais profundo de seus clientes a cada interação. elas precisarão criar uma visão detalhada e baseada em dados para realmente conhecê-los e ajudá-los em suas jornadas pessoais. Essa mentalidade de “assistência imediata” será essencial para quem quiser vencer.

Claro que ainda há muito trabalho a se fazer para que o Machine Learning, passe, de fato, a entregar tudo o que promete.

Quem quiser começar a se aventurar nesse mundo, pode recorrer aos treinamentos de Big data e Machine Learning do Google no Coursera.

CEO da Edm2 ministra palestra sobre Big Data e Ações de Markerting

O CEO da agência Edm2 Marketing, Edson Martins dará palestra no evento Marketing Digital: Soluções Web para Atrair e Fidelizar Clientes, no dia 26 de outubro no Golden Tulip Park Hotel. Intitulada “Como a Ciência de Dados e o Big Data podem potencializar os resultados de Campanhas de Marketing” a palestra abordará as aplicações do Big Data como forma de otimização das campanhas e ações de marketing.

De acordo com Edson Martins, através do Big Data pode ser feito um cruzamento de informações para determinar o melhor desempenho das ações de marketing. Isso se dá com ferramentas mais precisas, deixando as tomadas de decisões mais assertivas tanto para o publico alvo quanto para as empresas que criam as ações. Alcança-se o público certo, na hora certa através de seus comportamentos nas redes sociais.

No evento também ocorrerão palestras sobre Mídias Sociais, Inbound Marketing, Marketing Digital e Mensuração de Resultados.

O Golden Tulip Park Plaza Hotel fica na Alameda Lorena, 360, Jardins.

1 2 3 13  Topo