Vendas

Como melhorar as vendas on-line?

Vender produtos on-line na internet é uma tarefa complicada. Afinal são diversos aspectos que devem ser levados em conta na hora de melhorar seu site para que seus clientes comprem. E são algumas delas que trazemos para você.

Fique atento ao seu SAC e mantenha seu cliente satisfeito

Um dos primeiros fatores que os novos clientes procuram são as opiniões. Manter os reviews do seu site e dos seus produtos positivos faz toda a diferença na hora de captar e fidelizar clientes.

Ofertas e Promoções

Impossível negar que quem compra está sempre em busca de promoções e vantagens na hora de decidir. Segundo pesquisas do Boston Consulting Group, 74% das pessoas disseram que a maior influência na hora de comprar é o frete grátis.

Você pode utilizar de outras estratégias, como cupons de desconto e datas promocionais.

Estratégias de Preço

Preços “quebrados”, como R$99,90 tendem a chamar mais atenção do que preços cheios como R$100. Isso aumenta o percentual de compra do produto.

Outro fator é o preço parcelado. Segundo o SPC Brasil, 79% dos consumidores compram parcelado. Portanto, mostrar os valores parcelados logo de cara chama atenção dos compradores.

Segurança da Operação

Um ambiente seguro para compra é essencial para qualquer site de e-commerce. O cliente quer ter a certeza de que está protegido durante toda a sua compra, não correndo o risco de ter seus dados clonados.

Existem diversos selos e certificados de segurança que ajudam a dar ainda mais credibilidade para o seu site.

Compra Mobile virou moda!

Cada vez mais as pessoas realizam suas compras e pesquisas através do celular. Portanto, seu site deve estar acessível e com uma experiência mobile.

Em alguns casos, um aplicativo também é uma ótima saída.

Gostou das nossas dicas? Agora é hora de aplicá-las!

Dicas de como ter um email marketing efetivo

O email marketing ainda nos dias de hoje é uma estratégia usada por muitas empresas e que apresenta um ótimo potencial, já que eles trazem um custo menor e um alto ROI. Mas não pense que fazer e-mail marketing é algo simples. É preciso uma estratégia bem desenha e efetiva, que te diferencie dos demais e não deixe quem recebe irritado com os e-mails. Pensando nisso, separamos algumas dicas para a sua estratégia de e-mail marketing.

Assunto do Email marketing – Deve ser cativante 🙂

Essa com certeza é a principal chave para um e-mail marketing assertivo. É importante entender seu público e criar chamadas que atraiam interesse de quem recebe, caso contrário, o conteúdo dele acaba nem sendo conhecido.

Datas Especiais – Uma forma de lembrarem da sua empresa 

As datas comemorativas são as principais oportunidades para envio de email marketing. Porém, você não precisa ficar preso as datas tradicionais, você pode criar datas de acordo com o seu negócio, trazendo ainda mais oportunidades de mercado.

Seja criativo e pense fora da caixa

É importante que seu e-mail marketing traga sem um tom bem-humorado, afinal, ele é uma forma de demonstrar a alegria da sua empresa. Utilizar GIFs, CTAs mais coloridos e personalizados e a emojis, trazem um tom mais divertido e que atraem o leitor para o seu site. Tome cuidado com o excesso de links!

Não faça SPAM! Use listas opt-in 

Use listas opt-in ou de pessoas que realmente se cadastraram para receber o seu conteúdo; Fale com quem quer escutar!

Dica de Vendas: AMOR ou DOR – Qual dos dois ajuda mais na hora fechar um negócio?

VendasOutro dia, o gerente do banco em que tenho conta me ligou. Depois do breve “quebra-gelo”, começou a me dizer como o seu tio tinha perdido em um incêndio a casa, todos os móveis, os quadros, entre outros objetos de valor e estima. No fim, ele arrematou dizendo que a coisa toda era ainda pior, porque o tio nunca fizera um seguro contra incêndio. Acabei perguntando qual era o valor aproximado do prejuízo e quanto teria custado o seguro que evitaria aquela perda. Em dez minutos de conversa, eu tinha comprado uma apólice de seguro contra incêndio.

Outro dia, o gerente do banco em que tenho conta me ligou. Depois do breve “quebra-gelo”, começou a me dizer como o seu tio tinha perdido em um incêndio a casa, todos os móveis, os quadros, entre outros objetos de valor e estima. No fim, ele arrematou dizendo que a coisa toda era ainda pior, porque o tio nunca fizera um seguro contra incêndio. Acabei perguntando qual era o valor aproximado do prejuízo e quanto teria custado o seguro que evitaria aquela perda. Em dez minutos de conversa, eu tinha comprado uma apólice de seguro contra incêndio.Pouco tempo depois, conheci o irmão de um amigo, o qual logo começou a me falar sobre as inúmeras vantagens de dormir em um colchão magnético. Foram quase 30 minutos de conversa sobre como aquele colchão acabava com as doenças provocadas por questões de postura, as vantagens do uso de tecidos inventados pela Nasa, entre outras coisas. Ouvi tudo pacientemente (para não perder o amigo), despedi-me e fui embora descansar no meu querido colchão de molas.

Essas duas histórias me fizeram pensar sobre uma questão que, tenho certeza, incomoda tanto a mim quanto a você. Afinal, o que é melhor: reforçar os benefícios de usar o produto/serviço, enfatizando os ganhos, ou reforçar os problemas/prejuízos que podem surgir caso o cliente não use o produto/serviço, enfatizando as perdas? Acho que existe espaço para as duas táticas. Mas, para escolher a melhor, é preciso:

• Estar informado se o cliente tem algum interesse explícito ou implícito sobre o produto.
• Saber utilizar uma argumentação que demonstre sempre a preocupação com o cliente.
• Não cansar o cliente com detalhes técnicos que, na maioria das vezes, passam longe de seu interesse.

Meu gerente sabe que sou uma pessoa preocupada com a proteção de meu patrimônio e que também tenho uma corretora de seguros amiga, com quem costumo trabalhar. Tenho certeza de que foi por isso que ele me ligou, não para oferecer um seguro, mas para me mostrar como as pessoas que negligenciam certos riscos podem sofrer perdas financeiras significativas.

Em momento algum o gerente falou que eu também poderia ser vítima de um incêndio. Não tentou me explicar o que o seguro oferecia como cobertura, nem se ofereceu para me enviar uma proposta. Ele simplesmente aguçou minha curiosidade e deixou que eu fizesse as perguntas. Em outras palavras, ofereceu a isca, e eu a engoli por inteiro.

Já o irmão do meu amigo começou a falar sobre as vantagens dos colchões magnéticos que vende, passando a explicar como as pessoas tinham se livrado de problemas de coluna, dores lombares, artrite, artrose, entre outras mazelas, simplesmente comprando, dele, um colchão especial que descobri, no fim, que custava mais de 5 mil reais.

Ele não me perguntou como é minha coluna ou se minha namorada gosta ou não do colchão da minha cama. Pura e simplesmente, despejou sobre mim um grande número de argumentos técnicos, cuja metade eu ignorei e a outra parte, confesso, não consegui entender.É por isso que sugiro: na próxima vez que você for abordar um cliente, lembre-se de falar das dores dele, e não do amor que sua empresa tinha quando desenvolveu aquilo que você vende. Fazer isso pode ser fácil se você falar das coisas que interessam – ou podem interessar – a ele, e não a você. Não fique aí pensando que isso é muito difícil. Imagine a melhor forma de fazê-lo, seja ousado e aja.

Como minha empresa pode vender mais?

Como vender mais

Reprodução Giphy

Não é de hoje que o maior patrimônio de uma empresa são seus colaboradores e a forma como ela se posiciona para seus consumidores e público-alvo.
Nos últimos anos avaliando e ajudando algumas empresas a conquistarem seu espaço, tenho percebido que muitas delas se preocupam muito com o quando precisam “gastar” para promoverem sua marca. Mas a maioria dessas empresas esquecem que o principal combustível para o sucesso não é o quanto ela possui de valores/dinheiro para conquistarem seu espaço, mas o quanto estão dispostas a inovar com seus produtos/serviços e com seu atendimento.

Abaixo vamos falar um pouco mais dessas questões. Se você seguir as dicas e ajustar ao seu modelo e negócios, vai entender que a receita para o sucesso estava em suas mãos tempo todo.

Como posso vender mais?

se relacione com o seu cliente sem medo

Se relacione com o seu cliente sem medo

É o relacionamento, e não o preço. Quais são as formas que você tem criado para construir relacionamentos?

Abaixar o preço dos produtos e serviços não é o suficiente, pelo contrário, você prejudica seu setor e acaba criando uma demanda instável para sua empresa, pessoas que compram apenas por preço possui uma tendência de trocas. Fidelize e conquiste seus clientes de maneira inovadora e criativa. Ofereça prazos, qualidades e principalmente suporte para dúvidas. Cuide do seu cliente como gostaria que cuidassem de você.

 

Converse com seus clientes

Converse com seus clientes

– Construa sua reputação, porque é por ela que você se tornará conhecido. O que as pessoas dizem sobre você quando não está presente?

Você monitora todas as suas ações? Tem conversado com seus clientes em potencial? O que eles dizem nas mídias sociais, através de e-mails ou telefone? Temos casos frequentes de empresas que constroem sua marca através de relacionamentos. Estava eu com alguns amigos tomando aquele Chopp gelado, quando surgiu o assunto “preciso reformar meu apartamento”. Não sei se isso já ocorreu com você, mas reformas nunca são agradáveis, mas um deles tinha acabado de passar por uma fantástica experiência de compra com uma empresa no setor de reformas em geral. Me contando sobre sua experiência, qualidade de produtos e matérias e atendimento, não tive dúvidas nenhuma que essa empresa seria a empresa responsável pela minha reforma. Percebe que os negócios estão sendo feitos a todos os momentos. Quanto essa empresa teve que investir para me ter como cliente? Estamos falando de 100% de lucro por indicação e por seu excelente processo no atendimento.

seja diferente e surpreenda-se!

Seja diferente e saia do cliché

– Crie uma diferença REAL (e percebida) entre você e os outros. O que é memorável em você? O que você tem de diferente dos outros?

Com o avanço da tecnologia e acessos as informações através de vários canais digitas, o consumidor mudou sua maneira de pesquisar e seus hábitos de consumo. Com isso várias empresas foram perdendo seu posicionamento e sua lucratividade foi diminuindo. O investimento maciço em mídias e propagandas em massa não surtiam efeitos e o natural era se desfazer das pessoas. Mas quanto tempo você dispõe para reciclagens? Quantas vezes por semana você e sua equipe fazem reunião e reciclagem?

Entenda a importância desses questionamentos e busque sempre entender os motivos que levam seus clientes comprarem de seus concorrentes, entenda os motivos de tantas perdas na equipe comercial. Seja eficiente na hora de reciclar e atender seus clientes. Deste modo não vai mais sofrer com as constantes crises econômicas que ocorrem no mundo.

Siga grandes marcas líderes em seus setores e tenha sempre em mente que inovar é mais fácil e barato que criar.

Redes Sociais e a era do SAC 2.0

Redes Sociais na era do SAC 2.0

Acervo: Freepik

O SAC 2.0 chegou para ficar e se você possui um negócio as chances são de que você já deve ter investido tempo e dinheiro para a manutenção de uma presença na mídia social para promover sua marca e se envolver com seus atuais e potenciais clientes. Você já fez algum investimento em fornecer um serviço de atendimento ao cliente em uma mídia social ou canal digital (SAC 2.0)?

Muitas marcas, apesar de ter uma presença social, não estão investindo o tempo e recursos para proporcionar um bom serviço ao cliente nesses canais.

Um relatório da NM Incite revelou que, embora quase 1 em cada 3 usuários de mídias sociais preferem entrar em contato com uma marca através das redes sociais.

O estudo apontou que boa parte das pessoas preferem as redes sociais ao invés do telefone. Aproximadamente 36% dos usuários conseguiram resolver os problemas através dos canais digitais. Outros 14% dos usuários relataram que a empresa conseguiu atender rapidamente porém não resolveram o seu problema através daquele canal, e 10% nunca sequer recebeu uma resposta.

Entre nas rede social de vez!

O fato é que quando as marcas estão presentes nas redes sociais, os usuários esperam cada vez mais para ser capaz de alcançá-los lá e receber uma resposta eficaz.

Fornecer uma resposta oportuna e útil para os clientes é de grande benefício para um negócio, mas ignorar a situação ou ficar apagando os comentários e feedbacks pode custar muito caro e sujar a marca. Há relatos de diversas empresas aqui do Brasil que tiveram repecursões negativas por terem agido de tal maneira.

Existe ainda uma grande resistência das empresas em fazer uso desses canais justamente pela exposição e pela potencial viral que um chamado ou atendimento podem causar.  Por isso muitas empresas preferem oferecer respostas “razas” ou genéricas para uma simples reclamação não gerar buzz negativo.

Montamos abaixo uma lista com 5 razões para você transformar a sua rede social em um SAC 2.0 e melhorar o relcionamento com o seu cliente.

1) É conveniente

A ideia de que a mídia social fornece uma resposta mais rápida nem sempre é verdade. Tudo pode depender da complexidade dos pedidos, do volume, e como bem equipada uma empresa é lidar com eles. Mas o que ele oferece é a conveniência.

2) Atenção ao Cliente

As pessoas postam informações, mandam mensagem e interagem com a sua empresa e com isso esperam uma resposta  adequada. Ignorar elogios e reclamações pode pegar muito mal.

3) A boa impressão conta muito

A maneira como você responde nessa situação pode fazer toda a diferença para a reputação e perfil de sua marca. A mídia social tem sido um divisor de águas para atendimento ao cliente, em que ele faz interações  públicamente, tornando as empresas responsáveis pela forma como eles lidam com os clientes e deixando aparente como fazem.

Isso pode parecer assustador para muitos negócios, mas também oferecem às empresas uma grande oportunidade para criar uma impressão positiva e mostrar o seu compromisso com o seu cliente.

4) O serviço de cliente faz uma enorme diferença para a retenção de clientes

Dados de diversas pesquisas (ComScore, Quadrant, Facebook) do segmento apontam que mostram que o atendimento ao cliente como um todo pode influenciar a decisão de compra de um atual e potencial cliente.

De acordo com dados recolhidos pelo Zendesk, 40% dos clientes começou a comprar de uma marca concorrente com base em sua reputação do serviço ao cliente, enquanto 85% estavam dispostos a pagar até 25% a mais para garantir uma experiência de serviço ao cliente superior.

Não fazer esforços para prestar um bom serviço ao cliente (SAC) pode ser realmente caro.

5) Pode ser benéfico para pesquisa de produtos e marketing

Muitas empresas já utilizam as redes sociais como uma oportunidade de gerar upsell de produtos e colher feedback rapidamente sobre o que você está vendendo.

Isso faz com que os clientes se sentem como eles são ouvidas e que a marca valoriza o seu feedback, ao mesmo tempo, tornando-o mais provável que eles vão voltar a comprar um produto similar, ou um item que foi previamente fora de estoque, se a marca mantém as linhas de comunicação aberto.

Com tudo isso em mente, nunca houve um melhor momento para começar a fazer um investimento em bom serviço ao cliente (SAC) e fazer isso com ferramentas e canais que são simples e fáceis de utilizar. Pode ter certeza que assim você conseguirá se diferenciar dos concorrentes que ainda não leram a minha postagem aqui 😉

Pense mais no seu cliente do que no seu concorrente!

Análise de concorrente: Pense no seu cliente

Acervo: Edm2

As empresas nos dias de hoje estão obcecadas em se manter a frente dos concorrentes. Vejo muitas delas falando sobre sites, redes sociais, email marketing e vários outros meios de propaganda que os outros fazem. Mas o que tenho notado é que a maior dificuldade atualmente é se manter alinhado com seu cliente e não com o concorrente. Não quero dizer que observar a concorrência seja ruim, mas observar o cliente é muito mais importante.

Uma razão para tal é que as pessoas estão se tornando cada vez mais digitais de maneira muito mais rápida que as empresas. Pense, por exemplo, que as pessoas são como pequenas empresas, elas estão mudando o seu comportamento (processos) de compras, aquisição de talento, aprendizado, finanças etc. Agora traduzindo esse comportamento para canais digitais teremos: e-commerce/mobile commerce, cursos EAD (distância), fintechs (paypal, nubank etc). Assim como as pessoas, a sua empresa está seguindo essa mesma tendência?

Com isso, as expectativas do cliente mudaram também. Muitos não estão mais comparando com a concorrência e sim, com aqueles que oferecem o melhor atendimento. Ou seja, às vezes o seu serviço ou produto é mais caro, porém o atendimento é melhor que o do seu concorrente. O bom atendimento é a mais poderosa ferramenta de fidelização da atualidade.

Então como transcender a essa expectativa do cliente?

Montei algumas ideias de como superar a expectativa na era do barato, bom e rápido:

Grande e pequeno: Combine a velocidade, agilidade e criatividade de ser pequeno com o âmbito, a dimensão e influência de ser grande.

Complexo e simples: Gerenciar os sistemas e processos complexos, enquanto a criação deve ser simples e elegante para os clientes.

Global e pessoal: Alcance o maior número de pessoas, mas seja relevante e sob medida para cada cliente. Essa é a essência de todos os serviços da Edm2.

Os clientes querem ter poderes e não serem controlado. Aja com empatia

Antigamente, você direcionava o que o cliente teria que fazer, comprar e agir. Hoje isso virou um verdadeiro crowdsourcing. Ou seja, você terá que envolver o cliente com toda a empresa para chegar a uma solução. Reciprocidade começa a reinar. A cada dificuldade no projeto interagir e procurar a solução juntos não é um sinal de fraqueza, mas sim de transparência. Isso faz com que o cliente sinta-se parte do processo.

O cliente começou a pensar de maneira não linear

Os clientes de hoje esperam que você esteja onde eles estão, entregar o que eles querem, quando querem e como querem. Os clientes vão esperar que na próxima vez que falar com qualquer pessoa da sua empresa, todos estejam envolvidos com o que está acontecendo. Basicamente, fechar um negócio se tornou algo que não envolve apenar o vendedor, mas sim todos os seus colaboradores.

Para preparar a sua empresa para a era do cliente 3.0 deve-se alinhar:

Estratégia: deve ir além de análise de mercados, fazer planos, espiar concorrentes e prever o futuro. Estratégia também tem de construir capacidades e transformar a cultura da empresa.

Personalização: direcionar a linguagem e direcionamento do trabalho feito para que o cliente sinta-se exclusivo. Todo processo deve ser alinhado de acordo com o perfil das necessidades de cada cliente.

Social: não pode ser considerada simplesmente como um canal de postagens. Mas deve ser feito para a construção de relacionamentos genuínos. Para ter um bom relacionamento você precisa possuir canais de interação com o seu cliente, independente da industria ou segmento que você está atuando.

Ser leal: precisa ser mais do que acumular pontos por prêmios. Para ser genuína e duradoura, a lealdade precisa ser recíproca. Se você quer lealdade, você tem que ser fiel também!

Operações: precisam ir além da eficiência da empresa para a eficiência do cliente. Como você pode otimizar para ajudar os clientes a obterem mais de seu tempo e esforço, e não apenas o dinheiro deles?

Como posso começar?

Bom… se você está lendo esse artigo até aqui já é um bom começo. Reinventar, questionar e aprimorar são importantes para qualquer empresa. Por isso, pare de pensar no que o concorrente faz, pense em como você pode melhorar o relacionamento do seu cliente. Assim você não precisará se preocupar tanto com que as outras empresas de seu segmento estão fazendo.

Dúvidas? Me mande um email no edanton@edm2.com.br que podemos conversar mais a respeito ou deixe um comentário aqui!

Dicas de como driblar a crise de um pequeno comércio

Acervo: iStock

Acervo: iStock

Mesmo em uma época desafiadora para a economia ainda existem maneiras de driblar a crise e manter as vendas ou até mesmo evitar com que a queda seja maior, o comércio varejista é um dos primeiros setores a sentir o freio no consumo das famílias principalmente por conta do alto endividamento em que muita gente se encontra hoje. Por isso para que você consiga evitar um cenário ainda pior para as vendas do seu comércio bolamos algumas dicas fáceis e simples de serem executadas.

Olhe para dentro do seu negócio

A primeira coisa que um comerciante deve fazer é olhar dentro do seu próprio negócio: Avaliar o que pode ser otimizado e também estimular a equipe para que todos possam participar na solução do problema. O momento exige muito estudo e ponderação para avaliar o que pode ser aprimorado principalmente os custos fixos e investimentos do negócio. Acreditamos ser muito importante fazer uma revisão em todos os processos. Por exemplo, focar em um bom atendimento que possam gerar grandes chances de conversão de compras. O cliente bem atendido gera mídia espontânea, que atrai novos clientes. É como se fosse um ciclo. Investimentos em fidelização também são válidos, pois conquistar um novo cliente exige mais investimento que manter os atuais. Criar promoções atraentes incentivando a compra e também oferecer um leque de produtos acessíveis também é uma boa alternativa.

Como posso lidar com a queda das vendas?

Ser criativo, é muito importante nesse momento. Essa criatividade vem como impulso para renegociar o que pode ser renegociado, como por exemplo os custos fixos. Não significa sair cortando todos os gastos, é preciso traçar estratégias de readequação para que seja cortado somente o necessário. Muito cuidado com cortes que podem prejudicar e não melhorar a situação. A participação da equipe na criação das estratégias para enfrentar esse momento de baixa na economia é importante e pode ser um diferencial. Ela irá oferecer um feedback mais assertivo e direcionado sobre a situação do estabelecimento. O proprietário precisa ser participativo no processo de vendas para que essa proatividade possa ser mais uma força de melhoria contínua para o negócio.

Como posso continuar a atrair clientes?

Invista em ferramentas digitais. O mundo está cada ver mais conectado e por isso é preciso estar onde o seu cliente está. Recomendamos o uso das redes sociais a favor da empresa. Por exemplo, tenha um bom site, crie experiências e desperte interesse, pois isso incentiva o seu cliente e consequentemente ganha visibilidade. Firme parcerias com outros comerciantes da região, porque essa união pode gerar uma ajuda mútua para conquistar novos clientes.Não existe possibilidade de atrair clientes sem investimento portanto todo investimento focado em atrair clientes deve ser mantido ou otimizado, milagre em pote não existe portanto vá atrás de seus clientes e procure ferramentas que possibilitem fazer isso!

Ser criativo é fundamental. Converse com a sua equipe, com o seu cliente procure saber o que eles querem, não tome decisões sozinho converse com seus amigos e familiares, com outros comerciantes, procure saber o que está dando certo para adaptar o seu negócio à medidas mais favoráveis. Saia da zona de conforto e não tenha medo de ousar. Não é porque o seu concorrente não faz que você não deve fazer!!

 

6 maneiras de ter sucesso na abordagem de vendas

sucessoemvendas

Fonte: iStockPhoto

Você está buscando o sucesso na abordagem de vendas? É bom saber por onde começar.

O processo de vendas que serve para uma empresa não serve para outra e, da mesma maneira, o processo que serve para um vendedor não serve para o outro.

A grande sacada hoje quando se fala em vendas, é transcender às necessidades dos clientes.

Estamos na era de ajudar pessoas e empresas.

Mas a sua empresa está realmente comprometida em ajudar alguém? Ou fala isso da boca para fora?

O verdadeiro comprometimento em levar boas novas aos clientes é a primeira coisa que a sua empresa precisa fazer se quiser ajudar alguém, ao invés de enganar alguém. Então vamos para as dicas:

  1. Nunca subestime o cliente: Não ache, não julgue e não seja arrogante. Se você espantar o cliente sendo muito direto, muito incisivo ou qualquer coisa do tipo, vai perdê-lo sem ter ganho a sua curiosidade. Saber o timing certo para aborda o cliente, sem espantá-lo e continuar fomentando o relacionamento é a melhor maneira de fazer a venda.
  2. Saiba como sua solução/produtos/serviços melhora a vida do seu cliente: O cliente aceitou falar com você ou pediu um contato através dos canais que sua empresa possui, a primeira coisa que ele deseja saber é como sua empresa pode atender/transcender as necessidades dele. A solução precisa estar inserida no cenário do cliente, porque assim ele imaginar os benefícios de fazer negócio com você (para isso você tem que usar muita sondagem).
  3. Fale coisas que o seu cliente não sabe: Estude o setor do seu cliente, leve dicas e informações que ele não saiba. 87% das pessoas que buscam uma empresa para adquirir um produto ou serviço, já possuem conhecimento necessários sobre suas necessidades. Você só vai conseguir sua devida atenção, passando uma informação útil (que agregue). Por favor, não alimente seu EGO e cuidado para não ser arrogante (usando jargões e termos técnicos) substitua as características do que está oferendo por benefícios ganho no processo de compra.
  4. Saiba qual o seu fantástico diferencial competitivo: O que sua empresa faz que nenhuma faz? O que torna sua empresa, seus serviços, produtos e sua equipe inigualável? A resposta para isso, vai fazer com que seu cliente compre de você e não da sua concorrente.
  5. Não desperdice o tempo do seu cliente: Se as condições forem iguais as pessoas vão querer fazer negócios com amigos. E se, as condições não forem tão iguais, elas ainda vão querer fazer negócios com amigos. Quando estiver negociando evite falar mais que seu cliente, lembre-se que uma negociação sempre vai ser um diálogo e não monólogo. Tente falar 30% ou menos se possível, você só vai descobrir o que ele deseja, fazendo as perguntas certas e deixando ele falar (De novo, use muita sondagem e treine seus ouvidos quando estiver essa etapa). Se o potencial cliente achar que sua abordagem está tomando o tempo dele, você não vai fechar negócio (e vai culpar a crise do País).
  6. Procure uma conexão emocional: A melhor maneira de ter uma boa recepção do potencial cliente é encontrar uma conexão emocional (Rapport). Isso pode significar um amigo em comum, um time, uma entonação de voz, músicas ou gostos em comum. Quando duas pessoas têm gostos em comum e uma conexão, o diálogo fica mais fácil.

O sucesso na abordagem de vendas não vem da dia para o noite.

sucesso na abordagem de vendas

Fonte: Giphy

Treine, recicle e desenvolva métodos capazes de transformar seu atendimento. Dessa forma, você otimiza seu atendimento, passa a ter um entendimento melhor do perfil do seu cliente e seus diferenciais competitivos serão notados quando seu cliente for pesquisar outras empresas. Lembre-se agregue valor em todos as etapas do seu atendimento, assim seu cliente não vai se sentir seguro em fechar com outra empresa.

Boas Vendas!!

 

 Topo