Publicidade

Novidades sobre o mundo da publicidade

Negócio Local? O Facebook tem um formato para você!

Nos dias de hoje é difícil encontrar empresas que ainda não tenham investido alguns reais sequer no Facebook Ads. A plataforma é a rede social mais usada no mundo, e, por isso, a presença de anúncios dentro do site é praticamente obrigatória. O Facebook busca a cada dia novas maneiras de trazer anúncios específicos para cada negócio, colocando novas opções que irão beneficiar os anunciantes. Agora, uma nova opção de anúncio está disponível na rede social, e ela pode ser perfeita para o seu negócio.

Nova ferramenta de segmentação

Como já sabemos, existem diversas formas de segmentação dentro do Facebook. Elas ajudam a tornar os anúncios muito mais efetivos, já que é mais fácil atingir quem tem interesse pelos assuntos que você anuncia.

Qual a novidade?

Pensando nos negócios locais, o Facebook agora passou a trazer notificações de locais com base na localização dos usuários.
Essa notificação vem nas atividades, aquele lugar em que todos nós clicamos várias vezes ao dia.
Isso coloca a sua marca ainda mais próxima do usuário, já que agora, com apenas um clique, ele poderá ser direcionado para a sua página.
A estratégia é ótima para lojas, restaurantes e diversos outros tipos de negócio que buscam atrair cada vez mais clientes.
Se você ainda não faz anúncios da sua marca, produto ou serviço dentro da maior rede social do mundo é melhor começar a olhar com mais carinho para o Facebook.

3 Tendências de Mídias Sociais Para Seguir

O ano já está chegando ao fim, e durante 2017, diversas novas tendências e estratégias para as mídias sociais surgiram.

Por isso, e hora de analisar o que foi feito e repensar estrategias para 2018, com tendências que cresceram durante este ano e tem tudo para fazer ainda mais sucesso no ano que vem.

Conteúdo ao vivo

O conteúdo ao vivo no facebook teve um crescimento gigante durante este ano, principalmente entre páginas de jornal e canais de televisão, como a Folha e o Esporte Interativo, realizando entrevistas e cobrindo eventos.

Mas não foram só eles os responsáveis por esse crescimento de estratégia. diversas marcas também se utilizaram dos vídeos ao vivo para mostrar presenças em eventos e trazer informações relevantes.

Com os vídeos ao vivo disponíveis tanto no Facebook quanto no Instagram, as marcas criaram laços de envolvimento com quem não estava presente em algum evento ou ação através da ferramenta.

E-commerce nas redes sociais

As principais redes sociais implementaram novas formas de se comprar produtos diretamente de seus apps.

Com isso, algumas marcas passaram a focar em call to action em fotos de produtos e serviços oferecidos, aumentando suas taxas de conversão.

Conteúdo Humanizado

Trazer o seu consumidor para perto de você passou a ser prioridade. O diferencial, hoje, é criar laços e trazer a sua marca de forma mais palpável para ele.

Esse tipo de conteúdo mostra outro lado da sua marca, com conteúdos mais autênticos.

Alguns exemplos desse conteúdo são vídeos de bastidores, sorteios.

Remarketing aplicado para Vendas

Você já reparou que depois de entrar em um site de e-commerce, e, principalmente, se não realizar ou não finalizar uma compra, o produto que estava procurando vai continuar aparecendo para você diversas vezes?

Isso é o remarketing.

O remarketing é um dos maiores aliados do e-commerce, e tem como objetivo tentar atrair pessoas que não finalizaram uma compra por meio de novos anúncios em outros sites acessados.

Muitas vezes esses anúncios vem com atrativos como descontos, que aumentam a chance de você acessar e finalizar sua compra.

Essa estratégia é possível por conta dos cookies, um tipo de arquivo que armazena informações importantes dos seus acessos e permite ao site de e-commerce saber os produtos que você visualizou e seus interesses na internet.

O objetivo do remarketing trazer um aumento de conversão de compras para o seu site, um dos maiores desafios de sites e-commerce nos dias de hoje, já que a taxa de conversão aqui no Brasil é inferior a 2%.

Com ele, é possível exibir mais vezes o seu produto, colocar descontos que atrairão para a compra, aumentar o reconhecimento da sua marca e diminuir a taxa de abandono no carrinho.

Hoje existem diversas ferramentas que permitem a implantação do remarketing como o Google AdWords, Facebook Ads, AdRoll, entre outros. Essas ferramentas auxiliam na medição das suas campanhas, mostrando dados como CTR (taxa de cliques), CPC (custo por cliques) e ROI (retorno sobre investimento), métricas essenciais para ter sucesso na sua campanha.

O remarketing, feito com sabedoria, é mais uma das ferramentas que ajudará a sua marca a ter mais reconhecimento e criar um relacionamento com o cliente, fazendo com que ele esteja cada vez mais fidelizado a você.

Feedback na Internet

No último dia 29 de Junho, a Netflix anunciou a volta do seriado Sense8, em um episódio final de duas horas. Tudo isso, graças as reclamações feitas por inúmeras pessoas nas redes sociais, em torno do fim do seriado. A confirmação deu-se por meio de vídeo, no Facebook da plataforma de streaming, e por um comunicado de Lana Wachowski, uma das produtoras de Sense8, no Facebook da série. “De forma improvável, inesperada, seu amor trouxe Sense8 de volta à vida”, disse Lana Wachowski, na carta.
Os cancelamentos de séries estão aborrecendo muitos adoradores do Netflix. Para justificar o cancelamento de Sense8, Roberto Malerva, também produtor do seriado, disse que a série possuía um custo elevado e uma produção complexa. Segundo estimativas, o valor de cada episódio de Sense8 girava em torno de US$ 9 milhões. Porém, as não renovações de Netflix não pararam. As séries The Get Down e Girlboss também foram canceladas, pela plataforma. Estes fatos geraram o descontentamento de diversos fãs e causaram pressões ao Netflix.

O Feedback dos fãs

“As cartas apaixonadas, petições, a voz coletiva que se levantou como o punho da Sun para lutar por essa série foram além do que qualquer um poderia esperar”, falou Lana Wachowski. “Mas esse é um presente dos fãs que eu sempre vou carregar no meu coração: por mais que na maioria da vezes essas decisões sejam de fato irreversíveis, isso não é sempre verdade”, acrescentou. Lançada em 2015, Sense8 teve duas temporadas, além de um episódio especial de Natal, em 2016. A série é responsável por trazer à tona discussões sobre preconceito, homofobia, representatividade de gênero e diversidade, em 16 cidades diferentes. Os episódios refletem os pontos de vista de cada personagem.

O ocorrido mostra que um produto, serviço, empresa ou – hoje em dia- qualquer outra coisa que esteja na rede, tem notoriedade imensurável! O futuro será cada vez mais digital e a internet cada vez mais importante para dar visibilidade aos negócios. Portanto, não deixe nunca de manter sua empresa conectada e as redes sociais extremamente atualizadas e inovadoras. Por isso se tornou fundamental que as empresas colham e monitorem feedback de seus clientes na internet.

2 Palavras que irão gerar audiência

Como entreter sua audiência

Como entreter sua audiência

A primeira palavra que você tem que colocar no seu dicionario é consistência, quão frequente você faz alguma coisa. Por exemplo , quantas vezes você posta no seu blog, canal no youtube, Instagram ? uma, duas, três vezes por semana ?

E outra palavra é sustentabilidade, ou seja quanto tempo você consegue manter a consistência á longo do prazo. Ainda que você não consiga ver o resultado imediato , a sustentabilidade trará fidelidade ao seu publico ” faça chuva ou faça sol, o conteúdo combinado estará disponível. Isso gera uma relação de confiança ao seu publico e essas duas ações irão gerar impacto na sua audiência e crescimento.
Veja o exemplo da academia, a maioria das pessoas entram querendo gerar resultados rápidos, e quando o corpo não se transforma no que foi idealizado ( ou não veem sua audiência crescer como desejado) o que acontece? Eles desistem, não consegue sustentar. Isso trás falta de consistência e sustentabilidade!
Temos tambem o exemplos de vários criadores de conteúdo no youtube que só começaram a ser conhecido por muitas pessoas após 4 á 5 anos, porem independente do resultado toda semana eles estavam gerando conteúdo para sua audiência e plataforma.
Guarde isso o resultado vem ao longo prazo. Se você quiser criar uma audiência sustentável é necessário usar essas duas palavras CONSISTÊNCIA E SUSTENTABILIDADE para obter o sucesso. As pessoas que tendem a dar certo são aquelas que conseguem ter a visão do longínquo e permanece.

Como usar emojis em suas campanhas de marketing

Reprodução: Emoji chorando de rir

Reprodução: Emoji chorando de rir

Emojis assumiram uma parte significativa da comunicação on-line, com as pessoas que os usam para expressar sentimento, um gosto ou um interesse sem usar a escrita. O termo “emoji” tornou-se tão popular que foi nomeado por alguns dicionários estrangeiros como palavra do ano para 2015, e podemos notar também que grandes marcas começaram a incorporar o uso dos emojis em suas mensagens nas redes sociais, email marketing e até mesmo correspondências. É muito comum ver empresas tirarem proveito de tendências populares pra passar um posicionamento de arrojado e moderno mas muita gente não sabe quando e como usar emojis principalmente na interação com o seu público.

Aqui no Brasil vimos o Itaú fazer uso dos emojis em toda a sua campanha corporativa para interagir com o público mais emergente de todos: os millenials e de quebra tentar passar uma imagem moderna, digital e divertida do banco, mas o uso de emoji na comunicação corporativa já estava sendo explorada no exterior a muito tempo…

Comunicação do Banco Itaú com uso de emojis

Comunicação do Banco Itaú com uso de emojis

De acordo com a consultoria estados unidense a Socialbakers em sua análise de 500 marcas diferentes do mercado norte americano, 59% delas fazem uso de emoticons em seus tweets em 2015, ao mesmo tempo, 40% deles incluem em posts no Facebook. Já outra consultoria a Appboy em um estudo publicado recentemente diz que houve um aumento de 777% do uso de emojis em campanhas de marketing entre 2015 e 2016.

Foi determinado pelo mesmo estudo que 92% dos usuários online usam emojis pelo menos uma vez por dia, o que prova como os pequenos símbolos transformou-se na nova gíria internet.

É interessante observar as razões para que as pessoas usam emojis e não é apenas sobre ser divertido. Na verdade, as pessoas usam emojis com a finalidade de melhorar a comunicação on-line, para ser entendido, para adicionar um sentimento, ou simplesmente para se expressar o mais rápido possível, da maneira mais adequada.

Devo ou não usar emojis nas campanhas da minha empresa?

Os emojis podem ajudar uma marca adicionar um elemento pessoal às suas mensagens de marketing e criar um apelo emocional e divertido com o seu público. É como se a marca de empresa expressasse emoções humanas. Mas antes de começar colocar emoji em todo lugar você deve determinar exatamente como, quando e onde utilizar para que o divertido não fique apelativo, forçado ou exagerado. Abaixo montei algumas perguntas simples de como determinar o uso dos emojis:

  1. Como o meu público-alvo interage on-line?
  2. Os emojis ajudaram a reforçar a minha mensagem?
  3. Que emoji pode ser mais adequado para representar a minha mensagem ou a minha empresa?
  4. Eu realmente sei o significado dos emoji que quero usar?
  5. Quantas vezes devo usá-los?

Sendo assim, a utilização de emojis depende também do público alvo, relevância, afinidade e frequência para que não fiquem “forçados”.

Veja como alguns exemplos de marcas que estão usando emojis na sua comunicação e inspire-se!

Tweet da Domino’s Pizza, nem precisa traduzir o emoji diz tudo <3

Emojis na comunicação da Domino's

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Outro exemplo bacana do McDonalds no Reino Unido bem parecida com a campanha do Banco itaú só com Emojis

Emoji McDonalds

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O SAC online da Arezzo responde com emojis:

Arezzo SAC 2.0

 

 

 

 

 

 

 

Outro exemplo de uma campanha da Delta Airlines com um emoji sorrindo:

Emoji na Delta Airlines

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook da Porto Seguro:

Porto Seguro com Emojis

Gerenciamento de e-crises: o que fazer para se sair bem

Gerenciamento de E-Crises

Reprodução – Edm2

A construção de uma imagem confiável e que passe credibilidade ao cliente no ambiente virtual “e-branding” é uma tarefa árdua e diária para as empresas. E esse trabalho nem sempre é cercado somente por flores. As pedras no caminho existem e são muitas. Mas cabe a empresa usar de jogo de cintura e inteligência corporativa para sair de situações complicadas. Isso se chama gerenciamento de e-branding.

Muitos são os motivos para que crises surjam como erros com o produto/serviço e com o pós-venda, ruídos na comunicação sobre as campanhas e ações desenvolvidas da empresa para veiculação na mídia. Problemas internos com os colaboradores também provocam crises.

Não existe fórmula mágica para gerenciamento de crises, mas é possível mapear as questões que culminaram todos esses processos e contornar a situação. Primeiro, é importante focar na situação, deixando de lado qualquer coisa que possa interferir no processo de construção da solução.

É preciso fazer um trabalho de monitoramento da rede, monitore redes sociais, blog, site e qualquer outro canal de divulgação existente. Isso pode ser feito tanto pela própria empresa, através da equipe de marketing ou por alguma agência que cuide dessa parte por ela. Esse cuidado é importante para a manutenção da boa imagem da empresa no mercado.

Como proceder?

Construa um escopo de plano de ação. Não existe nenhum plano 100% eficaz, mas é preciso ter pelo menos algo que sirva como direcionamento do que fazer em situações de crise. Outra coisa muito importante é sempre reservar um tempo para analisar o que já ocorreu com a empresa, quais situações adversas já ocorreram e qual o balanço disso.

Identifique o perfil de quem iniciou a onda de reclamação e quem a repercutiu. Entender quem está reclamando é importante para criar a estratégia de reversão. Responda sempre e no mesmo canal onde a reclamação foi feita. Esse primeiro contato é importante para deixar bem claro para a audiência que a empresa têm o cuidado e solucionar todos os problemas ocorridos. Mostra resiliência e atenção ao cliente. Assumir o erro mostra maturidade e transparência.

Tome cuidado com o tom da resposta, procure sempre ser cordial, mas direto e ofereça sempre uma solução para o problema exposto. As empresas precisam seguir os conceitos definidos nos valores e missão e o tom dos feedbacks devem condizer com o que ela presa. Sempre que possível, ofereça alguma bonificação, pode ser um brinde, um desconto ou qualquer outra coisa que proporcione ao cliente uma experiência boa com relação a empresa, a fim de suprir a última que não foi agradável.

E sempre avalie a situação como case de aprendizagem para a empresa. Registre essa experiência, vale uma reunião para avaliar a situação, um treinamento ou qualquer outra forma de passar essa mensagem para a equipe. E ouça sempre todos os lados, buscando feedbacks e oportunidades de melhora.

Redes Sociais nas Empresas: É importante?

Acervo interno da Edm2

Acervo interno da Edm2

Hoje em dia para qualquer empresa é muito importante possuir redes sociais. mas por quê? Quando os clientes precisam de ajuda, procuram referências sobre a empresa eles observam muitos canais e um deles é são as redes sociais, mas porque muitas empresas ainda não utilizam esses meios?

Desde 2013, o número de clientes que esperam uma resposta através da mídia social dobrou, de acordo com pesquisa da Sprout social, mas sete das oito mensagens para as empresas ficam sem resposta durante 72 horas principalmente em redes como Facebook e Twitter.

Para complicar ainda mais, os consumidores esperam que a rede social deve oferecer suporte e não só fazer a publicidade de um produto ou serviço, ou seja a rede social deixou de ser um canal de propaganda mas um canal de suporte e relacionamento. Com isso muitas empresas não conseguem oferecer um canal de interatividade e ficam somente naquele esquema de fazer postagens por fazer.

Para ser mais eficaz na construção de relacionamentos com os consumidores on-line, as empresas precisam de uma equipe de mídia social “cross-functional” ou multifuncional, um onde o marketing trabalha em conjunto com outros departamentos como atendimento ao cliente e o pós venda. Distribuindo responsabilidade das redes sociais diversos departamentos dentro de uma organização.

Como uma empresa pode fazer com que a rede social seja “Cross-Functional”?

Em primeiro lugar, pesquisar e analisar a mídia social existente. Quem controla os canais hoje? Quais sistemas, políticas e funcionários são responsáveis pelo monitoramento de mídia social? A partir dessa pesquisa, organizar um novo sistema.  Como a agência está fazendo isso? Você já discutiu a estratégia com a sua agência?

O que você precisa analisar para melhorar a sua presença nas redes sociais?

Organizar responsabilidades da equipe: definir claramente os papéis e as responsabilidades entre marketing, atendimento ao cliente, relações públicas, vendas, comunicação corporativa, recursos humanos, etc.

Atribuir funcionários específicos de cada departamento para tarefas de mídia social. Fazer com que todos participem do alinhamento da estratégia.

Criar diretrizes da marca para os padrões, tom e estilo de comunicação de mídia social. Mantenha um padrão para que a mensagem seja sempre coerente com os valores da empresa.

Definir metas específicas com base em indicadores chave de desempenho, tais como tempo de resposta, análise de sentimentos, acoplamento, opiniões e ações, e outras métricas importantes.

Os consumidores de hoje esperam mais das empresas. Eles olham cada vez mais para as marcas que se envolvem com eles online, por isso é fundamental que cada empresa esteja engajada em se relacionar com o seu cliente onde eles estão e não há lugar melhor que as redes sociais para isso!

Pense mais no seu cliente do que no seu concorrente!

Análise de concorrente: Pense no seu cliente

Acervo: Edm2

As empresas nos dias de hoje estão obcecadas em se manter a frente dos concorrentes. Vejo muitas delas falando sobre sites, redes sociais, email marketing e vários outros meios de propaganda que os outros fazem. Mas o que tenho notado é que a maior dificuldade atualmente é se manter alinhado com seu cliente e não com o concorrente. Não quero dizer que observar a concorrência seja ruim, mas observar o cliente é muito mais importante.

Uma razão para tal é que as pessoas estão se tornando cada vez mais digitais de maneira muito mais rápida que as empresas. Pense, por exemplo, que as pessoas são como pequenas empresas, elas estão mudando o seu comportamento (processos) de compras, aquisição de talento, aprendizado, finanças etc. Agora traduzindo esse comportamento para canais digitais teremos: e-commerce/mobile commerce, cursos EAD (distância), fintechs (paypal, nubank etc). Assim como as pessoas, a sua empresa está seguindo essa mesma tendência?

Com isso, as expectativas do cliente mudaram também. Muitos não estão mais comparando com a concorrência e sim, com aqueles que oferecem o melhor atendimento. Ou seja, às vezes o seu serviço ou produto é mais caro, porém o atendimento é melhor que o do seu concorrente. O bom atendimento é a mais poderosa ferramenta de fidelização da atualidade.

Então como transcender a essa expectativa do cliente?

Montei algumas ideias de como superar a expectativa na era do barato, bom e rápido:

Grande e pequeno: Combine a velocidade, agilidade e criatividade de ser pequeno com o âmbito, a dimensão e influência de ser grande.

Complexo e simples: Gerenciar os sistemas e processos complexos, enquanto a criação deve ser simples e elegante para os clientes.

Global e pessoal: Alcance o maior número de pessoas, mas seja relevante e sob medida para cada cliente. Essa é a essência de todos os serviços da Edm2.

Os clientes querem ter poderes e não serem controlado. Aja com empatia

Antigamente, você direcionava o que o cliente teria que fazer, comprar e agir. Hoje isso virou um verdadeiro crowdsourcing. Ou seja, você terá que envolver o cliente com toda a empresa para chegar a uma solução. Reciprocidade começa a reinar. A cada dificuldade no projeto interagir e procurar a solução juntos não é um sinal de fraqueza, mas sim de transparência. Isso faz com que o cliente sinta-se parte do processo.

O cliente começou a pensar de maneira não linear

Os clientes de hoje esperam que você esteja onde eles estão, entregar o que eles querem, quando querem e como querem. Os clientes vão esperar que na próxima vez que falar com qualquer pessoa da sua empresa, todos estejam envolvidos com o que está acontecendo. Basicamente, fechar um negócio se tornou algo que não envolve apenar o vendedor, mas sim todos os seus colaboradores.

Para preparar a sua empresa para a era do cliente 3.0 deve-se alinhar:

Estratégia: deve ir além de análise de mercados, fazer planos, espiar concorrentes e prever o futuro. Estratégia também tem de construir capacidades e transformar a cultura da empresa.

Personalização: direcionar a linguagem e direcionamento do trabalho feito para que o cliente sinta-se exclusivo. Todo processo deve ser alinhado de acordo com o perfil das necessidades de cada cliente.

Social: não pode ser considerada simplesmente como um canal de postagens. Mas deve ser feito para a construção de relacionamentos genuínos. Para ter um bom relacionamento você precisa possuir canais de interação com o seu cliente, independente da industria ou segmento que você está atuando.

Ser leal: precisa ser mais do que acumular pontos por prêmios. Para ser genuína e duradoura, a lealdade precisa ser recíproca. Se você quer lealdade, você tem que ser fiel também!

Operações: precisam ir além da eficiência da empresa para a eficiência do cliente. Como você pode otimizar para ajudar os clientes a obterem mais de seu tempo e esforço, e não apenas o dinheiro deles?

Como posso começar?

Bom… se você está lendo esse artigo até aqui já é um bom começo. Reinventar, questionar e aprimorar são importantes para qualquer empresa. Por isso, pare de pensar no que o concorrente faz, pense em como você pode melhorar o relacionamento do seu cliente. Assim você não precisará se preocupar tanto com que as outras empresas de seu segmento estão fazendo.

Dúvidas? Me mande um email no edanton@edm2.com.br que podemos conversar mais a respeito ou deixe um comentário aqui!

O que é Nanopublicidade

multiA Nanopublicidade foca no direcionamento de campanhas de acordo com o perfil de pequenos grupos de pessoas definido, os chamados nanonichos. Mesmo sendo menores, esses aglomerados interagem entre si e com as empresas. Ela veio para complementar o modelo de publicidade já existente, adequando-as às novas exigências do mercado. Uma forma de segmentar e filtrar ainda mais o publico alvo.

Mas, como são definidos os nanonichos?

É preciso uma série de estudos a fim de entender quem são as pessoas que compõe esses grupos, suas necessidades, anseios e como personalizar as ações para melhor atendê-los. Os nanonichos podem ser definidos a partir de características como faixa etária, escolaridade, localização geográfica etc.

O processo desse novo tipo de publicidade baseia-se em atingir um número considerável de clientes com o mínimo de desperdício financeiro, tempo e trabalho. Para que isso aconteça, é necessário uma série de estudos a respeito de cada grupo, traçando perfis de suas necessidades, levando em conta o comportamento do consumidor. A Nanopublicidade veio para complementar a publicidade já existente, chamada de tradicional. Ela também pode ser aplicada em qualquer veículo, online ou off-line.

 

1 2 3 4  Topo